Calculo diferencial integral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1566 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
03/05/2012 - GOI
modelo de burocracia:
- max weber: estudo das organizações como parte de um contexto social ; (hipotese: a ética protestante e o espirito do capitalismo)
-instabilidade das emoçoes e os comportamentos aleatorios eram vistos como perniciosos ao bom desempenho empresarial.

Características:
-etica protestante: - vida dedicada ao trabalho, poupança e ascetismo*
-ariqueza é vista como o resultado de uma conduta
-os que se dedicam à essa conduta são recompensados por Deus com a paz e a prosperidade
-homem organizacional:
-resistente às frustaçoes e dedicade de forma irrestrita às suas tarefas;
-felxível ao desemprenho de vários papeis assumido dentro da organização;
-racionalidade: os objetivos devem ser alcançados de forma racional, poupadorade esforçoes. Defende o the best way
-Divisao do trabalho e hierarquia: cada pessoa deve ter uma tarefa especifica e autoridade condizente. A cadeia hierarquica deve ser respeitada a qualquer custo.

-Autoridade, poder e donominação: - Autoridade é a ''probabilidade de que um comando ou ordem seja obedecida'', podendo se dar por hábito, afeição ou interesse em determinada situação.Poder é a probabilidade de impor a própria vontade à coduta dos outros, contra qualquer resistência, Na dominação o governante tem o direito de impor seu poder, e ao governado o dever de obedecer-lhe. Ao se exercer sobre muitas pessoas, a dominação necessita de um aparato administrativo de governantes e governados.
-Promoção e seleção: - É resultado de sua competência e dedicação nocumprimento de metas organizacionais

- Separação entre Propriedade e Administração
-Organização formal - a organização informal não é racional e imprevista

- Críticas ao modelo: - - - limitação da espontaneidade
-visão fragmentada da organização pelo funcionário;
-despersonalização do relacionamento;
-substituição dos objetivos pelas normas
- conflito entrepúblico e funcionários
Críticas à abordagem: -Negação do conflito entre empresas e trabalhadores;
-Visão ingênua e utópica do trabalhador
- Restrições de variáveis de amostra
- Ênfase excessiva nos grupos informais
-Espionagem disfarçada - - - -Ausência de novos critérios de gestão.
AULA GOI
10/05/12

BEHAVIORISMO
* Surge como a evolução de uma dissidência da escola dasrelações humanas;
* Buscava uma nova teoria administrativas:
* Destacam-se:
-Bernard
-Simon
ASPECTOS ENFATIZADOS:
* Processo decisório;
* Liderança;
* Autoridade e consentimento;
* Homem administrativo;
* Conflito de objetivos;

Teorias X e Y de McGregor
TEORIA X: Concepção tradicional de direção e controle. /O ser humano tem aversão natural ao trabalho./ A maioriadas pessoas precisa ser controlada, dirigida, coagida e punida, para que finalmente trabalhe./ O homem é um ser carente, que se esforça para satisfazer uma hierarquia de necessidades./ O ser humano não consegue assumir responsabilidades./ O ser humano não consegue assumir responsabilidades./ A participação dos funcionários é um instrumento de manipulação do mesmo./ O líder adota um estiloautocrático.
TEORIA Y: Integração entre objetivos individuais e organizacionais./ O ser humano vê o esforço físico e mental no trabalho de forma tão natural quanto querem descansar./ A maioria das pessoas busca naturalmente se autocorrigir, para atingir os objetivos que se propuseram alcançar./ O compromisso com um objetivo depende das recompensas que se espera receber com sua consecução./ O ser humanonão só aprende a aceitar as responsabilidades, como passa a procura-las./ A participação dos funcionários é uma forma de valorizar suas potencialidades intelectuais, como: imaginação, criatividade e engenhosidade. O líder adota um estilo participativo.
CHRIS ARGYRIS
TEORIA X: Corresponde à falta de confiança nas pessoas e sua dependência e controle pela administração. Autoridade centralizada...
tracking img