Brochura institucional - kader

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3760 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
|
Brochura Institucional |
Relatório |
|
Discente: Kader Correia Castro |
Docentes: Paula Nobre
Vanessa Andrade
Docentes: Paula Nobre
Vanessa Andrade
|
|

Laboratório de Comunicação Institucional
Laboratório de Comunicação Institucional

|
24-04-2012

ÍNDICE

1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA | 2 |
1.1 A Comunicação Institucional | 2 |1.2 Instrumentos de Comunicação Institucional | 3 |
1.3 A Brochura Institucional | 4 |
2. INVESTIGAÇÃO E RECOLHA DE DADOS | 5 |
2.1 Ensino Superior | 5 |
2.2 O IPL | 6 |
3. JUSTIFICAÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO DAS OPÇÕES TOMADAS | 7 |
3.1 Metas e Objectivos | 7 |
3.2 3.2 Definição e Caracterização dos Públicos-Alvo | 7 |
3.3 OAspecto Gráfico | 8 |
3.4 O Conteúdo | 9 |
3.5 Situações de Utilização | 10 |
3.6 Distribuição | 10 |
3.7 Orçamento | 10 |
BIBLIOGRAFIA | 11 |
| |

1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
1.1 A Comunicação Institucional

Para melhor perceber o conceito de comunicação institucional é importante perceber a sua génese ou as raízes que levam a que nos diasactuais falemos constantemente desse conceito no mundo organizacional e académico. Uma análise rápida e sucinta leva-nos a crer que estamos perante um termo mais contemporâneo. Mas a verdade é que o conceito de comunicação institucional, corporativa ou empresarial teve as suas sementes lançadas no período da Revolução Industrial, que provocou grandes e rápidas transformações em todo o mundo. Aconsequente expansão das empresas a partir do século XIX propiciou o surgimento de mudanças radicais nas relações de trabalho, nas maneiras de produzir e nos processos de comercialização. Nesse contexto é que surge a propaganda, o jornalismo empresarial, as relações públicas e a própria comunicação organizacional como um todo.

A comunicação Institucional desde então foi evoluindo no tempo e aprópria definição. Inicialmente, com o processo de industrialização as empresas viram obrigadas a encontrar novas formas de comunicação com o público interno e externo. No primeiro caso por meio de publicações dirigidas especialmente aos empregados e no segundo foi através de meio de publicações centradas nos produtos, para fazer frente à concorrência e a um novo processo de comercialização. Nestaperspectiva, estávamos perante uma visão mais propagandista das empresas com os seus públicos externos, em que a divulgação dos produtos e da própria organização, sem se preocupar com as percepções e os interesses dos públicos, isto é, a comunicação não era simétrica.
No seguimento das mudanças geopolíticas ocorridas no final da década de 80, com o fim da guerra-fria, fomentadas pelo fenómeno daglobalização e da revolução tecnológica da informação e da comunicação, as organizações tiveram que enfrentar um novo cenário mundial, dominado pelos mercados a uma escala global e concorrência cada vez mais feroz. Todas essas mudanças colocaram as organizações novos desafios. A comunicação organizacional do ponto de vista corporativo começou a ser encarada como algo fundamental e como uma áreaestratégica na contemporaneidade, tanto do ponto de vista de negócios quanto no conjunto dos objectivos corporativos.
Desde então percebemos que a simples comunicação de marketing não é suficiente para fazer frente aos novos mercados competitivos e consequentemente comunicar eficazmente com os stakeholders ou públicos da organização. Estes são cada vez mais exigentes e cobram das organizaçõesresponsabilidade social, atitudes transparentes, comportamentos éticos, graças a uma sociedade mais consciente e uma opinião pública sempre atenta, o que em grande parte deve-se aos meios de comunicação social. Nesse caso não se resume apenas aos medias tradicionais, mas sim também as redes sociais como Facebook e Twitter, em que a informação prolifera muito depressa e pode acarretar sérios problemas...
tracking img