Bombas no lugar de dialogo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1878 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Bombas no lugar do diálogo
Sempre que ouvimos falar de terrorismo,logo pensamos em atentado a bomba,em seqüestros de avião ou ainda outras ações de extremas violências.Pensamos também nas vítimas, em geral gente inocente, muitas crianças e mulheres que tiveram o azar de estar no lugar errado e na hora errada.A características principal do terrorismo é a destruição da vida humanaem nome de certos princípios ideológicos, religiosos ou políticos.
No século XX, o auge do terrorismo aconteceu durante a guerra fria.Isso não é um acaso.A própria Guerra Fria funcionava como um sistema de equilíbrio baseado na capacidade de mútua distribuição..Consagrava,portanto, o terror como uma forma de relacionamento entre Estados.Nesse ambiente internacional desolados,em quea possibilidade do holocausto nuclear estava colocada na linha do horizonte, a linguagem do terror foi adotada pro grupos religiosos, que praticavam seus atentados em nome de Deus; por mercenários, que recebiam dinheiro por suas ações; por nacionalistas, que acreditavam lutar pelo ideal patriótico; e,ainda,por ideólogos,que armavam bombas em defesa de determinada visão de mundo.
Opróprio Estado tornou-se instrumento de terror.O antigo regime de apartheid na África do Sul era o terrorismo de Estado organizado pela minoria branca contra a maioria negra do país.
Israel praticava,por meio de segregação étnica e cultural, terrorismo de Estado contra os palestinos que viviam nos territórios de Cisjordânia e Gaza, ocupados a partir de 1967. o ataque nuclear a Hiroshima eNagasaki foi o maior atentado terrorista já praticado por um Estado contra a população civil de outro.
Estamos habituados a dizer que qualquer ato de violência é terrorismo. Mas nem sempre um ato de violência é terrorista.A tentativa de assassinato do presidente Ronald Reagan,em 1981,por exemplo,foi um gesto extremo,mas não um ato terrorista.Já o assassinato do primeiro- ministroisraelense Yitzhak Rabin,em 1995,foi um ato terrorista.A diferença está no fato de que, enquanto a tentativa contra Reagan foi um gesto individual que não pretendia fazer propaganda de alguma ideologia, a morte de Rabin fez parte de uma estratégia política de uma organização radical judaica, que tinha objetivo em interromper o processo de paz no Oriente Médio.


• Terror na históriaA prática de terrorismo tem uma longa história.Apenas para ficar marcado no século XX, basta lembrar que o estopim da Primeira Guerra Mundial foi o assassinato,em 1914,do arquiduque Francisco Ferdinando pelo estudante Gavrilo Prinzip, membro do grupo sérvio Mão Negra.
Milhões de camponeses foram executados por resistirem a coletivização de suas terras entra 1929 e1932.Na Alemanha dos anos 1930,Hitler iniciou a perseguição aos comunistas,judeus,ciganos e outras minorias.Até o final da Segunda Guerra Mundial,em 1945,seriam assassinados, em campos de concentração,6 milhões de seres humanos pela máquina nazista.
O totalitarismos deu uma nova dimensão ao terror.Pela primeira vez na história,a máquina do Estado era colocada a serviço de ideologiaseu propunham a eliminação total do adversários.Na União Soviética de Stálin e na Alemanha de Hitler, qualquer indivíduo poderia ser preso e executado a qualquer momento, por absolutamente qualquer motivo.
Ao analisar essa situação, o filósofo alemão Theodor Adorno concluiu que o advento do totalitarismo tornou impossível fazer poesia.Não estava, obviamente, se referindo a umaimpossibilidade técnica, mas a perda de sentido da cultura.Qual a serventia de arte e da produção intelectual, se foram incapazes de impedir o surgimento do nazismo? A cientista política alemã Hannah Arendt iria proclamar que a humanidade não havia banalizado do Mal.
Na primeira metade do século XX, pelo menos 150 milhões de pessoas haviam morrido em guerras,revoluções e...
tracking img