Bocage

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1292 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 Bocage
1.1 O árcade confessional
Manoel Maria Barbosa Du Bocage nasceu em 15 de setembro de 1765, em Setúbal, e morreu em 21 de dezembro de 1805, em Lisboa. Em 1783, parte para Lisboa, onde, além de freqüentar a Escola da Marinha, conhece a vida boêmia. Enamora-se de Gertrudes, que viria a ser sua musa inspiradora, com o nome de Gertrúria. Segue-se para as Índias com 21 anos de idade e, delá, para Damão. Deserta, vai para Macau e, graças à ajuda de amigos, consegue voltar à terra natal, em 1790.
Participa, durante algum tempo da Nova Arcádia, com o pseudônimo de Elmano Sadino, mas não demora muito rompe com os acadêmicos e se entrega à vida boêmia, freqüentando botequins e escrevendo poesia pornográfica. Em 1797, é preso pelo Santo Ofício e enviado ao mosteiro da Saúde para serreabilitado. Posto em liberdade, vive de traduções e versões. Em vida, publicou: Rimas I (1791), Rimas II (1799), Rimas III (1804). Depois da morte, ainda foram publicados os seguintes volumes: Obras Poéticas IV (1812), Obras Poéticas V (1813), Obras Poéticas (1842).
O maior poeta do século XVIII português deixou uma obra vasta, que chama atenção pelo tom pessoal e inovador.
1.2 Conteúdo explosivo.De início, seus poemas recriam o mundo artificial da Arcádia, onde o pastor Elmano, vivendo num cenário paradisíaco, ao mesmo tempo em que invoca entidades mitológicas, cultua o amor de mulheres idealizadas. Ao distancias-se das frias concepções arcádicas, Bocage envereda pelo tom confessional, tratando do amor impossível, das contradições de um ser dividido entre sentimentos extremos. Tomandopelas paixões, atormentado pelo ciúme, pela infidelidade da mulher amada , procura expressar esse conteúdo explosivo por meio de um vocabulário espetaculoso, que já pronuncia o Romantismo.
1.3 Pré- romântico
Bocage chega a antecipar características do Romantismo, não só pela linguagem e tom confessional, mas também pelo chamado “mal do século”. Em sua poesia, encontram-se a intensapassionalidade, o desespero, a criação da paisagem tempestuosa, sombria, a presença de fantasmas, o culto da morte.
2 Garret
2.1 Amores extremos
Almeida Garret escreveu poesia clássica, poesia romântica ( Flores sem fruto, 1845, Folhas caídas, 1853, etc.), prosa de ficção ( O arco de santana, 1845-1850, Viagens na minha terra, 1846, etc), teatro ( O alfageme de Santarém, 1842, Frei Luís de Sousa, 1844,etc), mas é justamente conhecido por ter introduzido o Romantismo em Portugal, com seu poemeto épico, Camões.
João Batista da Silva Leitão de Almeida Garret nasceu no Porto, em 4 de fevereiro de 1799 e morreu em Lisboa, em 9 dezembro de 1854.
2.2 Vocabulário hiperbólico.
Sua poesia na fase romântica leva ao extremo os exageros sentimentais do movimento. Dividido entre pólos extremos, o poetaexpõe sua paixão, utilizando-se de um vocabulário hiperbólico, tentando expressar os conflitos que o atormentam: “Este inferno de amar! Como eu amo” Quem m’o pôs aqui n’alma- quem foi?/ esta chama que alenta e consome,/ Que é vida – e que a vida destrói - !”. A mulher, geralmente identificada com o mal, é um demônio que o tenta, que o leva quase ao paroxismo da loucura, devido ao amor extremado que odestrói e que, paradoxalmente, o atrai. Esse tema do amor extremado também comparece em sua prosa, mas de forma mais atenuada.
Excelente observador, Garret trata de vários assuntos, como a política, a religião, o progresso, a religião, etc., ao mesmo tempo em que desenvolve a trama amorosa. O escritor atinge o ápice criativo com Frei Luís de Sousa , a obra-prima do teatro português, que lembra emtudo uma tragédia clássica, graças à situação sem saída das personagens. (A.C.G.)
3 Alexandre Herculano
3.1 Ficção e história
Poete menos, Alexandre Herculano (1810-1877) notabilizou-se mais como historiador e pela ficção de caráter histórico. No primeiro caso, escreve obras histográficas com extremo rigor, tentando com sua obra monumental - a História de Portugal (1846 – 1853) – delinear...
tracking img