Biografia oswaldo cruz

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1219 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Oswaldo Gonçalvez Cruz, médico, higienista e cientista, nasceu em 5 de agosto de 1872, na cidade de São Luís do Paraitinga, interior de São Paulo, onde viveu até os cinco anos de idade após isso a família mudou-se para o Rio de Janeiro. Filho mais velho do casal Amália Taborda Bulhões Cruz e Bento Gonçalves Cruz, que tiveram também cinco meninas: Eugênia, Amália, Alice, Noemi e Hortência.(PROJETO MEMÓRIA, 2003);
Frequentou a escola pela primeira vez no Rio de Janeiro, dois colégios que já não existem, o Laure e o São Pedro de Alcântara, porém já sabia ler, foi alfabetizado pela mãe. Refere-se a seu Pai Dr. Bento como seu maior amigo, os dois se pareciam muito tanto fisicamente quanto no caráter. (PROJETO MEMÓRIA, 2003)
Ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, com apenas 15anosm, antes mesmo de concluir o curso, já publicara dois artigos sobre microbiologia na revista Brasil Médico. Ao longo dos seis anos de curso, Oswaldo Cruz demonstrou grande interesse pela microbiologia. (FIOCRUZ, 2012).
Seu primeiro contato com a microbiologia ocorreu no laboratório do professor Benjamin Antônio da Rocha Faria. No segundo ano do curso, foi convidado a ser ajudante depreparador. Dois anos depois, quando o laboratório foi transformado no Instituto Nacional de Higiene, Oswaldo tornou-se assistente do professor Rocha Faria. Em seu quinto ano, teve dois trabalhos: "Um caso de bócio exoftálmico num indivíduo do sexo masculino" e "Um micróbio das águas putrefatas encontrado nas águas de abastecimento de nossa cidade" divulgados na importante revista, o Brazil-Médico.(PROJETO MEMÓRIA, 2003)
Formou-se aos vinte anos de idade, em 1892. Sua tese de doutoramento foi uma exigência da época: "A veiculação microbiana pelas águas", entregue no dia 8 de novembro. No mesmo dia em que se formou seu pai faleceu, aos 47 anos, vítima de nefrite, que também o matou anos depois. (PROJETO MEMÓRIA, 2003)
Com a morte de seu pai, tornou-se responsável pelo sustentoda família. Assumiu a clínica do pai e também o emprego dele no ambulatório de uma indústria, a Fábrica de Tecidos Corcovado, passando a assinar-se, como o pai, Gonçalves Cruz. (PROJETO MEMÓRIA, 2003).
No ano seguinte, Oswaldo Cruz casou-se com a filha de um comerciante português, o comendador Manuel José da Fonseca, que estimulou seus estudos dando-lhe um ótimo laboratório de análises clínicas,além de uma viagem à França em abril de 1897. (CENTRO CULTURAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2009)
Oswaldo e Miloca tiveram seis filhos: Bento, Elisa, Hercília, Oswaldo, Zahra (morta com um ano de idade) e Walter. Todos (menos o quarto, por motivos óbvios) receberam o sobrenome Oswaldo Cruz. Isso se distende a toda sua descendência, hoje em treze netos e numerosos bisnetos e trinetos. (PROJETOMEMÓRIA, 2003)
Em 1894, aceitou convite do Dr. Egydio Salles Guerra, para trabalhar na Policlínica Geral do Rio de Janeiro, montou e chefiou um laboratório de análises clínicas ligado ao Serviço de Moléstias Internas da casa. No mesmo ano, ajudou o recém-criado Instituto Sanitário Federal a diagnosticar a cólera uma epidemia que invadia o vale do Paraíba. (PROJETO MEMÓRIA, 2003)
Em Paris,trabalhou três anos no Instituto Pasteur, com Roux, Nihert, Metchnikoff e outros. Passou a colaborar em jornais e revistas médicas nacionais e estrangeiras. Foi em Paris aonde veio a se especializar em microbiologia e soroterapia no conceituado Instituto Pasteur, recebendo uma bolsa de estudos em reconhecimento à ajuda financeira que o Imperador Pedro II dera à instituição, estudou também urologia emedicina legal no Instituto de Toxologia de Paris. Tornou-se pioneiro na fabricação de pipetas, provetas e ampolas no Brasil, pois aprendeu em uma fábrica de vidros a confeccionar os utensílios (PROJETO MEMÓRIA, 2003; ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, 2011).
Ao voltar da Europa, Oswaldo Cruz encontrou o Porto de Santos destruído por violenta epidemia de peste bubônica, e logo se engajou no...
tracking img