Bioeletricidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1860 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de maio de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
A Bioeletricidade estuda os fenômenos elétricos que se reproduzem nos seres vivos. O corpo humano é composto de 64% de solução salina, chamada de solução eletrolítica, sendo um condutor de eletricidade e em contato com as células nervosas, gera bioeletricidade química. A cada pulsação cardíaca produz-se uma corrente de um ciclo por segundo de watt de potência elétrica dissipada, essapotência e a resistência do corpo humano variam de um indivíduo para outro, dependendo da constituição orgânica das células e da condutibilidade do corpo, que por sua vez possui um campo de energia eletromagnética. O sistema nervoso constitui a rede de distribuição elétrica e as células são semicondutores.
A Bioeletricidade refere-se à voltagem estática das células biológicas e as correnteselétricas que fluem em tecidos vivos, como nervos e músculos devido aos potenciais de ação, isto é, a geração e uso de energia elétrica por células excitáveis, como o neurônio, para executar funções de armazenamento e transmissão de informação.

O que é Bioeletricidade?
Em todos os organismos ocorre um fenômeno elétrico a todos os níveis do corpo. As reações de oxidação-redução são processos detransferência de elétrons de uma partícula para outra. Os elétrons de algumas moléculas especificas são transportados de uma ao outra sucessivamente, cada uma destas etapas é o elo de uma cadeia de transporte de elétrons, formando uma corrente elétrica em miniatura. Entre esses processos existem diferenças de potenciais bioelétricos através das membranas de todas as células do corpo e os íons maisimportantes no desenvolvimento desses potenciais de membrana são: Na+, K+ e Cl-.
São considerados dois tipos de potenciais elétricos: o Potencial de Repouso e o Potencial de Ação.
O potencial de repouso é observado quando as células não estão contraindo, no caso das células musculares ou enviando impulsos nervosos, no caso de neurônios. Já o potencial de ação somente é observado quando as célulasestão contraindo ou enviando impulsos nervosos, devido a essa capacidade de exibir um potencial de ação, as células são chamadas de excitáveis. Os potenciais de ação são variações rápidas do potencial de repouso, cada potencial de ação começa por alteração abrupta do de repouso, que é normalmente negativo, para um potencial de membrana positivo, terminando por um retorno igualmente rápido aopotencial negativo. Antes do inicio do potencial de ação a célula encontra-se no de repouso, durante essa fase a membrana está polarizada,devido a sua face interna estar negativa, com deficiências de cargas positivas e a face externa positiva, pelo excesso de cargas positivas.
Os processos de transporte que geram o potencial de ação são feitos por canais proteicos regulados pela Bomba de Sódio ePotássio, nessa fase a membrana se torna permeável a íons de sódio, permitindo a entrada de grande fluxo para o interior da célula, passando do estado polarizado para o despolarizado, resultando no meio intracelular positivo e o extracelular negativo. Logo após ocorre a repolarização, onde ocorre a diminuição da permeabilidade da célula ao sódio, tornando-se mais permeável ao potássio, levando adifusão do mesmo para o exterior da célula, se repolarizando, voltando ao potencial negativo de repouso. Esses processos de Despolarização e Repolarização são produzidos pelos canais proteicos, juntamente com a Bomba de Sódio e Potássio e canais auxiliares.

Bioeletricidade e sua participação no corpo
De acordo com numerosas pesquisas, a pele tem função imunológica e quando acariciada, a epiderme,produz uma substância que é indistinguível imunoquimicamente da timopoietina, hormônio da glândula timo que está ativa na diferenciação de linfóciots T., que são responsáveis pela imunidade celular. Eles têm origem nas células que são produzidas na medula óssea e migra, pelos menos metade, para a glândula timo onde são processadas até se tornarem os linfócitos T. Ainda não é conhecido o processo...