Berkhof, hendrikus. deus como criador e o mundo como criação. in: mckin, donald k. (editor). grandes temas da tradição reformada. são paulo: associação evangélica literária pendão real, 1998.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1046 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
BERKHOF, Hendrikus. Deus como Criador e o Mundo como Criação. In: MCKIN, Donald K. (editor). Grandes Temas da Tradição Reformada. São Paulo: Associação Evangélica Literária Pendão Real, 1998.

Hendrikus Berkhof inicia o seu texto com a exposição de alguns problemas teológicos derivados da afirmação de que “este mundo de pecado, sofrimento e morte foi criado pelo Pai de Jesus Cristo” . Segundoo autor, muitos acreditam que o mundo não reflete o amor de Deus, pelo contrário, o contradiz, e que a salvação é uma fuga do mundo.
A resolução de Berkhof para o conflito exposto por ele mesmo parte da reflexão de que na verdade a salvação é para a redenção do mundo e não para a sua rejeição, e o mundo é do próprio Deus, porém o conflito ocorre porque o mundo é criação de Deus.
Segundo otexto, para que possamos compreender o nosso Deus como criador precisamos ter também entender algumas de suas características. Deus é amor, é condescendente, que se revela e é capaz de se relacionar.
Seguindo o raciocínio do autor, o amor de Deus foi o motivo que o fez decidir viver com uma realidade fora dele mesmo. Deus decidiu criar o mundo de sua livre e espontânea vontade, e partilhou a suaglória com essa sua criação.
Deus também é condescendente, como explica o texto “criar significa que Deus se rebaixa; que Deus se limita a si mesmo; que Deus providencia vida e espaço vital para o outro, o qual, como tal, é imperfeito e pode até mesmo se rebelar” .
Deus se revela no seu ato criativo. Segundo o texto, quando dizemos que todo o mundo veio a existir por meio da fala de Deus, naverdade estamos dizendo que o mundo existe para o encontro e comunicação. Se Deus não tivesse o propósito de revelar ao homem suas qualidades, nada poderia revela-la. Deus se revelou na criação e continua em sua revelação progressiva mostrando-se interessado em ser conhecido.
Deus tem a capacidade de se relacionar. O autor explica que quando dizemos que o mundo foi criado do nada, confessamos que,neste encontro, Deus e os seres humanos não procedem de duas direções diferentes e se encontram como parceiros. Hendrikus Berkhof diz que com a nossa mente limitada não podemos entender a expressão “ex nihilo”. O que é claro que a Bíblia diz que “No princípio Deus criou os céus e a terra” , isso significa que, antes de Deus ter começado a criar o universo, nada mais existia exceto o próprio Deus.A frase “os céus e a terra” inclui a totalidade do universo. Nos Salmos também encontramos menção a criação: “Mediante a palavra do Senhor foram feitos os céus, e os corpos celestes, pelo sopro de sua boca (...) Pois ele falou, e tudo se fez; ele ordenou, e tudo surgiu” .
A segunda parte do texto de Hendrikus “O mundo como criação” começa dizendo que as explicações a partir do Gênesis nunca seconstituíram problemas para a humanidade, a Bíblia era capaz de explicar a criação do homem, dos seres e coisas sem que fosse questionada com um estudo histórico critico, mas isso mudou e o pensamento do grande filósofo alemão Immanuel Kant contribuiu para esse processo. Kant diz que a realidade não pode ser acessada ou conhecida e si apenas os fenômenos que se apresentam ao homem.
A forma de vero mundo pelo cristão, com respeito à redenção acarreta muitas coisas para aquilo que se conhece e o que se tem no mundo, assim, pelo mundo ser de fato criado por Deus, implica que tudo o que nele há é estruturalmente bom e importante. No mundo crido por Deus nada é mau; enganoso; inferior. Berkhof diz que o mundo foi feito porque Deus quis criar e o criou por amor, a fim de que ele pudesse existire se desenvolver.
A criação é o primeiro de vários atos redentores de Deus. Se entendermos assim poderemos crer que o propósito final da criação, a partir do aparecimento de Cristo, é a redenção. Berkhof dá a entender que essa criação não está pronta no sentido que ela pode ser elevada, e se tornar verdadeiramente a imagem e semelhança de Deus com foi criada para glorificar o Cristo. Em...
tracking img