Berenice

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2508 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA
FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS
CURSO: LETRAS – LICENCIATURA EM PORTUGUÊS





LINAMARIA S. RIBEIRO DE MORAES






ANÁLISE ESTRUTURAL: CONTO BERENICE



Trabalho apresentado à professora Josiane Maria de Souza, na disciplina de Teoria Literária I, do curso de Letras-Português.PIRACICABA – 2012
INTRODUÇÃO
Com o decorrer do primeiro semestre da disciplina de Teoria Literária I e após os estudos realizados sobre o modelo estrutural do ensaio de Roland Barthes, também sobre as propriedades da literatura e diversas leituras de contos variados nos foi designada a tarefa de fazer a análise estrutural do conto “Berenice” de Edgar Allan Poe.
Para a análise dos aspectos doconto de Edgar Allan Poe nos fundamentaremos, como citado anteriormente, em Roland Barthes, organizado nos estudos de Carlos Reis e também em Platão e sua Teoria das Idéias, além de usarmos dicionário de símbolos de Jean Chevalier como forma de ampliar o entendimento sobre aspectos explícitos e implícitos no texto que extrapolam uma simples leitura e nos levam a aprofundar os diversos sentidosdo conto.

OBJETIVOS
Aprofundar a leitura do conto Berenice propiciando um maior entendimento sobre o que vem a ser uma análise estrutural;
Tentar responder qual o motivo que levou o personagem Egeu a se fixar nos dentes de Berenice.

DESENVOLVIMENTO

Segundo Barthes (in REIS, 1976) a narrativa é uma grande frase composta de um sistema que pode ser descrito numa perspectiva funcional.Desta forma podem-se determinar unidades narrativas com funções distintas tais como as distribucionais que são aquelas que ocorrem em um mesmo nível de ação denominadas de catálises, representadas pela pausa e as cardinais mostrando as ações mais efetivas da narrativa. Temos também as funções integrativas que atuam em todas as direções do texto, formada pelos indícios e pelos informantes.
Para quese percebam os aspectos concernentes aos diferentes sentidos apresentados no texto é necessário levar em conta a sequência, que são as ações modificadoras na narrativa. O autor afirma que a análise estrutural é formada pelo levantamento dos aspectos citados anteriormente e também pela busca em se explicar a pertinência estrutural em relação aos diferentes sentidos a que ele se refere.
De forma acontribuir com o entendimento da narrativa faremos uso das relações simbólicas apresentadas por Chevalier (1991) quanto a termos surgidos no transcorrer do conto.

PRIMEIRA PARTE
SEQUÊNCIA 1: infância, família e descrição do pensamento
F1- Ali morreu minha mãe. Ali nasci.
F2- Mas é ocioso dizer que eu não havia vivido antes, que a alma não tem existência prévia.
F3- Há, porém, uma lembrançade forma aérea, de olhos espirituais e expressivos (...) na impossibilidade de livrar-me dela enquanto a luz de minha razão existir.
F4- Emergindo assim da longa noite daquilo que parecia, mas não era, o nada, para logo cair nas mesmas regiões da terra das fadas (...) e dissipado minha juventude em devaneios (...)
F5- As realidades do mundo me afetavam como visões (...) completa e unicamente.SEQUÊNCIA 2: Diferenças entre Egeu e Berenice
F6- Berenice e eu éramos primos e crescemos juntos no solar paterno.
F7- Mas crescemos diferentemente; eu, de má saúde e mergulhado na minha melancolia (...)
F8- (...) ela, ágil, graciosa e exuberante de energia
F9 - Eu, encerrado dentro do meu próprio coração (...) e penosa meditação (...)
F10- (...) ela divagando descuidosa pela vida, sem pensarem sombras (...)
F11- Uma doença (...) soprou....sobre seu corpo....
F12- (...) minha doença aumentou e assumiu afinal um caráter de monomania...
F13-. (...) eu a contemplara, não como a viva e respirante Berenice, mas como a Berenice de um sonho.
F14-.(...) e num momento fatal falei-lhe em casamento.
F15- (...) sentei-me no mais recôndito gabinete da biblioteca ....erguendo a vista,...
tracking img