Barroco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5826 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice:

Índice: 2

Introdução 3

O Seiscentismo conhecido também por Barroco, 3

Contexto histórico 4

Limites cronológicos: 5

Características da linguagem barroca 5

Requinte formal: 5
Conflito espiritual: 5
Temas contraditórios: 6
Efemeridade do tempo e carpe diem: 6
Paganismo: 7
Cultismo ou Gongorismo - O jogo de palavras: 7
- Percepção sensorialda realidade: 7
- Metáfora: 8
- Antítese (do grego anti, 'contra' + thesis, 'afirmação'): 8
- Hipérbato (do grego hipérbaton, 'inversão, 'transposição'): 9
- Hipérbole (do grego hyperbolè, 'lançar sobre'): 9
- Perífrase: 9
- Anáfora (do grego ana, 'repetição' + phorá, 'que conduz', 'que leva'): 9
- Anadiplose: 9
- Paronomásia: 10
-Prosopopéia: 10
- Elipse (do grego élleipsis, 'omissão'): 10
- Zeugma (do grego zeûgma, 'junção'): 10
- Gradação: 10
Conceptismo - A dialética barroca: 11
- Silogismo: 11
- Sofisma: 12
- Metonímia: 13
- Paradoxo: 13
- Ironia: 14
Observação importante: 14

Herança Barroca 14

Referencias Bibliográficas: 17

Introdução

OSeiscentismo conhecido também por Barroco, na arte, marcou um momento de crise espiritual da sociedade européia. O homem do século XVII era um homem dividido entre duas mentalidades, duas formas diferentes de ver o mundo. Por isso, o estilo Barroco é um dos mais complexos que podem ser estudados na literatura Brasileira. A historiografia e a crítica têm oscilado entre posições que vão da seca derecusa do Barroco, por alegada pobreza temática e exagerada manipulação da palavra, à quente apologia que fazem à escola dos anatomistas ao estilo, maravilhados com a engenhosidade e agudeza das produções da época. A posição mais conservadora, mais tradicionalista, tende a ver no Barroco uma "pérola irregular", um classicismo imperfeito e obtuso. A posição mais recente, que se abre com os estudosde Heinrich Wölfflin, tende a ver no Barroco uma constante universal na arte, expressiva dos períodos marcados por graves conflitos espirituais, e cuja essência é a irregularidade, a exasperação, o retorcimento, o exagero, características opostas à sobriedade e à disciplina clássicas.
Convivendo com o sensualismo e os prazeres materiais trazidos pelo Renascimento, os valores espirituais- tão fortes na Idade Média e desprezados pelo Renascimento - voltaram a exercer forte influência sobre a mentalidade da época. Uma nova onda de religiosidade foi trazida pela Contra-Reforma e pela fundação da Companhia de Jesus. O que decorreu daí foram naturalmente sentimentos contraditórios, já que o homem estava dividido entre valores opostos. E a arte barroca, que exprime essa contradição,igualmente oscila entre o clássico (e pagão) e o medieval (cristão), apresentando-se como uma arte indisciplinada.
Comparado aos outros dois movimentos que integram a Era Clássica, o Classicismo e o Arcadismo, o Barroco representa um desvio da orientação clássica, já que procurava, ao mesmo tempo, fundir a experiência renascentista ao reavivamento da fé cristã medieval. Punha em risco,assim, certos princípios muito prezados pela tradição clássica, como o predomínio da razão e o equilíbrio.
Resumindo, o Barroco tenta conciliar duas concepções de mundo opostas: a medieval e a renascentista. Assim, valores como o humanismo, o gosto pelas coisas terrenas, as satisfações mundanas e carnais, trazidos pelo Renascimento, que era caracterizado pelo racionalismo, equilíbrio,clareza e linearidade dos contornos, fundem-se a valores espirituais trazidos pela Contra-Reforma, com idéias medievais, teocêntricas e subjetiva. Nasce então uma forma de viver conflituosa, expressa na arte barroca.
[pic]

Contexto histórico

Num contexto de autoritarismo político (com o absolutismo, sistema político baseado na centralização absoluta do poder nas mãos do rei,...
tracking img