Bacharel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5189 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE PAULISTA

Curso Nutrição











Lídia G.






Estudo de Caso de: Sobrepeso, com base
Nas Diretrizes Brasileiras de Obesidade


















2







São Paulo

2011
UNIVERSIDADE PAULISTA

Curso Nutrição










Lídia G.







Estudo de Caso de: Sobrepeso, com base
NasDiretrizes Brasileiras de Obesidade









1


2








São Paulo

2011
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 03
1.1 Dados Epidemiológicos 03
1.2 Etiologia (Segundo a Diretriz) 04
1.3 Métodos de Diagnóstico (Segundo a Diretriz) 06
1.4 Fisiopatologia 09
1.5 Tratamento (Segundo a Diretriz) 10
1.5.1 Farmacológico 11
1.5.2Dietético 12
2 OBJETIVO 16
3 RESULTADOS 17
3.1 Identificação do Paciente 17
3.2 Evolução Clínica 04
3.2.1 Diagnóstico Clínico 17
3.2.2 Histórico da Moléstia Atual 17
3.2.3 Exames Bioquímicos 17
3.3 Evolução Nutricional 20
3.2.1 Avaliação do Estado Nutricional 20
3.2.2 Diagnóstico Nutricional 213.4 Avaliação Dietética 21
3.4.1 Necessidades Nutricionais 21
3.4.2 Recordatório 24 horas 21
3.4.3 Adequação de macro e micronutrientes 22
3.4.4 Prescrição Dietoterápica 23
3.4.5 Orientação Nutricional 25
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS 27
5 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS 28

1. INTRODUÇÃO




1.1 DadosEpidemiológicos


Especialmente após a Segunda Guerra Mundial, mudanças no perfil epidemiológico com o aumento da prevalência de doenças crônicas não transmissíveis, tais como as doenças cardiovasculares, diversos tipos de câncer, diabetes, e obesidade, nos países do hemisfério norte, propiciaram a ampliação das correlações causais com a alimentação, redução de atividade física e outros aspectosvinculados à vida urbana. Atualmente, estas doenças também são entendidas como problemas de saúde pública nos países do hemisfério sul ou “países pobres” (MONDINI e MONTEIRO, 2000).
Em termos econômicos, o período após 1945 foi marcado pela criação de novos mercados e produtividade industrial. Neste período, privilegiava-se o atendimento do mercado de massas com produtos padronizados produzidosem grandes quantias, garantindo ganhos em escala e redução de custos, configurando o chamado modelo “fordista”. Neste período, verificou-se ampliação na produção industrial de bens de consumo duráveis (automóveis e eletrodomésticos como geladeiras e televisores) e pelo aumento acelerado do setor de serviços. Na economia brasileira, somente a partir de meados da década de 70 é que verificou-secrescimento expressivo da indústria de bens duráveis, em conjunto com a industrialização do setor primário (agropecuário). A industrialização do país fez com que ocorressem modificações importantes no quadro da mão de obra como redução de empregos no setor da agricultura e, no caso das mulheres, houve aumento nos setores do comércio. Esse processo expandiu a migração interna: em 1970 os moradores dasáreas urbanas era 58,0% da população, já em 2000, segundo os dados do Censo, passou para 81,0% da população (Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2000).
Acompanhando este deslocamento, os dado sobre o sobrepeso/obesidade na população brasileira vêm demonstrando crescimento da sua prevalência entre as décadas de 70 e 90. As análises comparativas entre os inquéritosantropométricos nacionais (Estudo Nacional de Despesa Familiar – ENDEF –, realizado nos anos de 1974/1975 e a Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição – PNSN – de 1989) e regionais (Pesquisa de Padrões de Vida – PPV – de 1997), permitiram identificar a amplitude e gravidade do problema. A tendência encontrada para o sobrepeso (IMC ≥ 25kg.m-2) nos adultos (≥ 20 anos) foi a de aumento na prevalência...
tracking img