Babson

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1730 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Gabriela Rayol dos Reis Barlach Turma: GEI7 Disciplina: Babson 2012

 
 


 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

Nancy’s Coffee x Albar – o que essas empresas tem em comum? Durante a semana em Babson, aprendemos sobre os mais diversos assuntos ligados ao mundocorporativo. O tema que mais me despertou a atenção foi o case Nancy’s Coffee. Me identifiquei com o tema pois vivencio na empresa que trabalho uma situação semelhante a de Beth (Nancy’s Coffee) e procuro oferecer para os clientes um serviço de excelência. Para entender sobre o que se trata, segue um breve resumo. Com aproximadamente 30 lojas nos estados unidos, a rede de café Nancy’s Coffee (carrega o nomeda sua fundadora), se vê em um momento de transição. Suas lojas estão crescendo, consequentemente a sua renda também. Representada por uma das herdeiras da família, Beth que abriu mão de altos cargos em grandes empresas, se depara com vários questionamentos sobre o futuro da empresa.

Imediatamente me identifiquei com Beth e sua trajetória de vida. Após a morte de Nancy (sua mãe), ela nãopoderia abandonar o patrimônio que sua mãe construiu. A questão principal de Nancy’s Coffee é definir o caminho que a empresa tomará e também fazer isto da melhor maneira possível, já que a filha de Nancy herdou mais de 10 lojas com possibilidades de expansão. Hoje, o que toda empresa busca é oferecer a melhor experiência possível ao seu consumidor pois a concorrência está tão grande e se nãoencantá-lo outra empresa o fará e seu cliente pode sair voando para outra direção em um piscar de olhos. O caminho a ser tomado pela rede de cafés, precisa ser muito bem definido, alinhado com a estrutura administrativa da empresa pois a grande razão de empresas de sucesso irem a falência é a falta de foco e sempre achar que não precisa de modificar para atuar no mercado. Beth deveria se fazer perguntascomo essas todos os dias: Quando é a hora de mudar? Que critérios eu devo utilizar? Que público eu quero atingir? E é isso que eu tenho me perguntando já faz algum tempo. Trabalho em um instituto de pesquisa de mercado, chamado Albar Research onde comecei a exercer a profissão de pesquisadora no ano de 2006, trabalhando como coordenadora de projetos. Passei a gerente 1 ano depois e pude atuar váriosanos gerenciando projetos nacionais e internacionais até que chegou o dia que recebi uma proposta da minha chefe. Fui convidada a dirigir o setor administrativo e financeiro da empresa. Esta foi a oportunidade que eu estava precisando. Um pouco saturada depois de trabalhar 5 anos com projetos, lidando com requisições absurdas de clientes, sem horários e a menor disciplina. Com este convite, vi aoportunidade de aprender coisas novas, me reinventar dentro da companhia e agregar mais uma experiência a minha carreira. Com o curso, foi possível aprender também o quanto nos limitamos em relação a determinados assuntos. Por exemplo: acaba sendo muito fácil dizer – Eu não sei do que se trata”, isto não faz parte da minha função, etc. do que ajudar e cooperar com os seus colegas dentro da empresa.Costumo” dizer que passamos mais tempo com nossos colegas de trabalho do que com a nossa família, afinal nos dedicamos, no mínimo 8 horas por dias com aquelas pessoas, então, por que não tornar o convívio o melhor possível? Esta era uma preocupação de Beth, já que uma das coisas que prezava bastante era o bom convívio com os seus funcionários.

A equipe de Beth demonstrou insegurança emalgumas situações, principalmente em relação a um de seus maiores concorrentes, o Starbucks. Houveram situações em que os dois estavam instalados em poucos metros de distância um do outro e a empresa conseguiu fidelizar seus clientes não só com o seu produto mas também através de um cartão fidelidade. Na minha opinião, Beth e seus funcionários não deveriam ter perdido algumas noites de sono em...
tracking img