Avicultura

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3606 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
CENTRO DE CIENCIAS AGRÁRIAS
DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA
DISCIPLINA: AVICULTURA


DOENÇAS MAIS COMUNS (breve resumo)
Existem inúmeras doenças que podem acabar com qualquer tipo de exploração avícola.


1. DOENÇAS VIRAIS
1.1 Doença de Marek
É uma doença pertencente ao complexo leucócito aviário, sendo provocadapor um herpesvírus DNA, com ação principalmente em aves jovens, de dois a cinco meses de idade. A forma de transmissão é horizontal, ou seja, de ave para ave, sendo a via respiratória a principal via de penetração do vírus.
Dependendo do local onde estão presentes as maiores parte das lesões, a doença de Marek pode-se apresentar de algumas formas: Forma clássica ou paralítica (nervosa) – écaracterizada por uma paralisia progressiva a partir da 12ª até a 20ª semana de vida, principalmente nas pernas, asas, pescoço e pálpebras. Esses sintomas são decorrentes das lesões nos nervos periféricos, que se mostram aumentados de volume. Geralmente a ave deita em decúbito lateral, com uma perna para frente e outra atrás do corpo; Forma aguda ou visceral – há o aparecimento de tumores de corcinza esbranquiçada, que se desenvolvem nos órgãos viscerais, como fígado, coração, proventrículo, rins, baço e ovário. Esses tumores aparecem a partir da sétima semana de idade. Para alguns autores a mortalidade pode chegar a 50% e a ave apresentar sinais clínicos como palidez acentuada, anorexia, diarreia e distensão abdominal; Forma cutânea – há o surgimento de lesões na pele do pescoço e nosfolículos da região do peito e perna. Geralmente, ocorre uma hipertrofia do folículo da pena, com subsequente formação de tumores.
Além de causar alta mortalidade das aves, a doença de Marek reduz de forma drástica a produção de ovos. Depois de instalada a doença, não há tratamento, por isso a prevenção deve ser feita por meio de vacinação na pele da nuca, no primeiro dia de vida.
1.2Doença de Gumboro
É também conhecida como doença infecciosa da bolsa de Fabrício, ou simplesmente bursite, sendo provocada por birnavírus. Esse vírus atua destruindo o tecido linfoide, resultando em imunodepressão. Ataca principalmente as aves jovens, a partir da terceira semana de idade.
O vírus é altamente resistente fora do organismo animal, é excretado pelas fezes, podendo, no caso depoedeiras, contaminar o ovo. As vias diretas de penetração no corpo são a aérea, a ocular e a digestiva, enquanto as vias indiretas são pela ração, pela água, pelos equipamentos e por insetos.
Quando na forma clínica, a doença não apresenta uma sintomatologia específica, mais observa-se tristeza, anorexia, autobicagem na região da cloaca, diarréia, desidratação, palidez acentuada, rins pálidose bolsa aumentada e de aspecto hemorrágico. Se a doença apresenta-se na forma subclinica (silenciosa), a mortalidade é praticamente nula, mas como o vírus tende a lesar todo o sistema imunitário, há um prejuízo à resistência das aves a outros patógenos.
Como medidas de prevenção, recomenda-se evitar que a granja seja infectada pela doença, pois, uma vez contaminada, a eliminação dospatógenos é praticamente impossível, assim, a granja terá que conviver com a presença do vírus. Medidas rigorosas de biossegurança minimizam o problema satisfatoriamente.
Apesar de os programas de vacinação apresentarem resultados duvidosos, recomenda-se a imunização de reprodutoras com vacinas inativadas, para a transferência de anticorpos passivos para a progênie.
3. Doença de NewcastleÉ uma doença altamente contagiosa e aguda, que tem como agente etiológico o paramixovírus. Este vírus se encontra difundido de forma ampla no ambiente, podendo afetar diferentes espécies de aves. As criações em grande densidade são as mais suscetíveis.
A principal via de infecção é ar, atacando dessa forma o sistema digestivo, respiratória e, ou, nervoso, com aparecimento de lesões....
tracking img