AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL


UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA – UESB
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS - DCHL
PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EDUCACIONAL






AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E A CONTRIBUIÇÃO NA CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS DEMOCRÁTICAS DE GESTÃO EDUCACIONAL









JEQUIÉ/BA
2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA – UESB
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS - DCHLPÓS-GRADUAÇÃO EM GESTAÕ EDUCACIONAL





Trabalho elaborado para fins avaliativos do Módulo Avaliação Institucional e Gestão da Educação, ministrado pela professora Cácia Cristina França Rehem.

Marlene Moreira Xavier
Fernanda Santos Rodrigues







JEQUIÉ/BA
2013




AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E A CONTRIBUIÇÃO NA CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS DEMOCRÁTICAS DE GESTÃO EDUCACIONALHistoricamente a avaliação escolar foi sendo utilizada como instrumento de medição, controle e punição e com cunho meramente instrumental. Prova disto, é que a cultura desenvolvida em torno dos processos avaliativos na escola deixou fortes marcas nas pessoas e nas suas representações em torno da palavra “avaliação”. 
As primeiras ideias sobre avaliação estariam ligadas à ideia de medir. Na literaturadestinada a avaliação, encontramos relatos sobre a presença de exames, já em 2205 a.C. Nessa época, o grande “Schun”, imperador chinês, examinava seus oficiais a cada três anos, com a finalidade de promovê-los ou demiti-los, desenvolvendo-se assim uma concepção de avaliação como meio de promoção e/ou exclusão.
As concepções de avaliaçãoda educação brasileira foram profundamente marcadas pelosreferenciais norte-americanos. Dentre estes referenciais, podemos destacar os escritos do americano Ralph Tyler, que já na década de 50 rompe com a ideia de avaliação apenas como medição e aponta novos conceitos e compreensões sobre a avaliação educacional. Tyler contrapunha a ideia de que avaliação é sinônimo de aplicação de testes com lápis e papel e acreditava que existiam outras maneiras de seconstatar a aprendizagem.
Atravessado pelas concepções norte-americanas sobre a avaliação, as reflexões em torno desta temática no Brasil foram se corporificando nas teorias e práticas educativas e ganhando novos significados, deixando de ser vista apenas como um instrumento de medição. Parafraseando Bernadete Gatti (2002), ela faz a seguinte reflexão sobre a avaliação.
A avaliação educacionalhoje não é apenas um campo com teorias, processos e métodos específicos, mas também um campo abrangente que comporta subáreas, com características diferentes: avaliação de sistemas educacionais, de desempenho escolar em sala de aula, de rendimento escolar com objetivo de macroanálises, de programas, avaliação institucional e auto-avaliação. (GATTI, 2002,p.17)
Neste contexto, a AvaliaçãoInstitucional surge com um instrumento de acompanhamento contínuo das atividades e da implementação de mudanças necessárias à retomada da missão proposta pelas instituições de ensino, visando assegurar a continuidade das atividades da Instituição e a verificação do que não estão corretos, os acertos e os resultados positivos para a tomada de decisões.
A partir dos 1990, o governo brasileiro, utiliza-se daavaliação institucional para formular e implementar políticas educacionais tanto no nível básico quanto no superior, para tanto são criados: O Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), em 1990; O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), em 1998; O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004.
Essas políticas de governo, empartes foram motivadas pela luta social pela democratização da educação básica e superior e pela Reforma do Estado na década de 1990. A partir deste período, a educação brasileira sofreu fortes influências do modelo econômico neoliberal, o qual passa a delinear as políticas educacionais de forma a diminuir a atuação do Estado como executor das políticas sociais e a atender os interesses do...
tracking img