Avaliação de condições de risco de transmissão de leishmaniose visceral no município de mirandópolis, região noroeste do estado de são paulo, brasil.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (422 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
AVALIAÇÃO DE CONDIÇÕES DE RISCO DE TRANSMISSÃO DE LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE MIRANDÓPOLIS, REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL.

Kaneto*1, C.N.; Rodas2. L.A.; Camargo3,M.C.G.O.; Stobbe1, N.S.; Perri1, S.H.V.; San Martin-Savani3, E.M.; D’auria3, S.N.; Galati4. E.A.B.

* Bolsista do CNPq
1. Universidade Estadual Paulista - UNESP - Curso de Medicina Veterinária - Telefone0XX18 - 6203289 Fax 0XX18 - 6226487 CEP 16050-680 - Araçatuba - SP
2. Superintendência de Controle de Endemias - SUCEN - Araçatuba - SP
3. Centro de Controle de Zoonoses - São Paulo - SP
4.Universidade de São Paulo - USP - Faculdade de Saúde Pública - São Paulo - SP

Estudo epidemiológico para avaliar o potencial de risco de transmissão de leishmaniose visceral foi realizado no municípiode Mirandópolis localizado em região de ocorrência recente da enfermidade no Estado de São Paulo. Semanalmente foram conduzidas capturas de flebotomíneos através do emprego de armadilhas automáticas em6 pontos fixos urbanos e em 5 rurais. Foram consideradas as interferências da temperatura e da precipitação pluviométrica na densidade de Lutzomyia longipalpis. Armadilhas de Shannon e aspiradoresmanuais também foram utilizados para captura dos vetores. Realizou-se um inquérito sorológico com o emprego da técnica de imunofluorescência indireta em amostras de 603 cães. Inoculação intraperitonealde pool de órgãos combinados com semeadura em meio NNN foram efetuadas a partir de cães sorologicamente positivos. L. longipalpis pôde ser encontrada em todos os meses do ano de modo positivamentecorrelacionado com a temperatura do ar, sendo atraída por bovinos, suínos, aves, cães e homem de forma semelhante. A taxa de positividade estimada no inquérito canino foi de 1,7%. Não foram encontradasformas flageladas de protozoários em 19 fêmeas de L. longipalpis dissecadas, porém, foram isoladas duas cepas de Leishmania a partir de dois cães infectados. Com enfoque nos principais elos da cadeia...
tracking img