Auto da barca do inferno

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 57 (14074 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CENA I – o Diabo e o Companheiro e o Anjo

( Tema

O Diabo dialoga com o Companheiro, ordenando-lhe que apronte a barca para a partida.
A barca é festivamente embandeirada porque Satanás prevê o transporte de grande número de condenados.

Estão presentes duas barcas, capitaneadas pelo Diabo e pelo Anjo, que vão desempenhar, simultaneamente, em todo o auto, a função de advogados deacusação e juizes.

( Cenário cais dois batéis ancorados.


O primeiro momento da ação do auto é um interessante diálogo entre o Diabo e o seu Companheiro, em que o primeiro se revela um experiente barqueiro.

Ancorados no rio da Morte, junto à praia do Purgatório, estão dois batéis. Num deles – o do Inferno – vai a grande azáfama de o preparar com mais espaço e maior garridice parareceber os passageiros. No outro – o do Paraíso – o movimento é nulo.

Esta é uma cena de grande movimento e de importância linguística pelos termos técnicos de marinharia.

Logo no início, o Diabo, com o seu irrequietismo, marca o contraste com o Anjo, todo passividade.
Repare-se no pormenor de o Diabo, em duas vezes que se dirige ao Companheiro, empregar a expressão «em má hora» (aramá emuitieramá), usando todavia o Companheiro, em resposta, «em boa hora» (em bonora), mais respeitadora.

( Qual o assunto do diálogo? A preparação da barca do Inferno.

( O Diabo revela grande euforia

porque espera muitos passageiros. Como tal, manda o Companheiro preparar a barca, pois vai haver muita festa.









Esta ideia dos enfeites mostra a importânciaque se dá aos bens materiais, pois esses irão encantar os passageiros. Aliás, cada personagem irá aparecer com objectos, para realçar a sua importância.
O materialismo da sociedade liga-se, desta forma, às ideias do Diabo.

( Como se manifesta esse estado de espírito ( euforia) do Diabo?

( dá muitas ordens -frases imperativas;
( pontuação - aparecem muitas frases exclamativasaparece muito o ponto de exclamação a seguir às interjeições e ao imperativo


revelando o entusiasmo e a alegria do Diabo e do seu Companheiro, na preparação da barca.


( Que ordens dá o Diabo ao Companheiro?

( “Ora venha o caro à ré!”
( “atesa aquele palanco”
( “Despeja todo esse leito”
( “Faze aquela poja lesta
e aliça aqueladriça.”
( “Põe bandeiras, que é festa! Esta última ordem indica que a caravela
Verga alta, âncora a pique!” está pronta a zarpar, assim como a ação propriamente dita também está pronta a começar.

( Na Barca da Glória não há qualquer movimentação. De facto, esta barca já está preparada para quem for digno de lá entrar. Além disso, o Anjo sabe que terá poucospassageiros.

O ambiente da Barca da Glória será sóbrio, sem enfeites, despretensioso, mostrando-se muito diferente da barca do Inferno.

( Vemos que Gil Vicente dá primeiramente a palavra aos espíritos do mal. Tal facto tem um motivo: esta é a barca que espera mais passageiros.

( O Diabo utiliza vários registos de língua:

Corrente “ À barca, à barca, houlá!
Que temosgentil maré!”

Popular “Abaixa aramá esse cu!”

Familiar (quase todas as falas)

Além disso, é de notar que o Diabo utiliza muitos vocábulos marítimos/expressões náuticas, o que mostra que ele é um experiente lobo do mar.
Gíria _ ex: ….
Nesta cena, simulam-se manobras que o Diabo manda executar ao seu companheiro.

Pelo diálogo travado, tudo leva a crer que as barcas estariamrepresentadas por caravelas portuguesas de velas triangulares.







































CENA II – O Fidalgo, o Diabo e o Anjo


( O Fidalgo é a primeira personagem em cena, talvez devido à classe social a que pertence: a Nobreza. Esta classe era vista como a primeira de todas na pirâmide medieval (à excepção do rei).

Ele chega...
tracking img