Autismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2955 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

No âmbito da cadeira de Psicologia I, a professora Elsa Silva, solicitou a entrega de um trabalho individual sobre um dos subtemas do programa, pelo que eu escolhi o tema do autismo para o meu trabalho.
A razão pela qual eu escolhi este tema é devido ao meu interesse por esta temática, por ser ainda um assunto mediático, por ser uma doença que ainda não tem cura mas existemtratamentos e investigações que queremos descobrir e porque queria saber mais acerca desta doença pois senti que o autismo é um tema constante na nossa sociedade e que eu sabia muito pouco sobre ele.
Nos dias de hoje todos sabemos que existem pessoas com algumas diferenças a nível cognitivo e social, sabemos ainda que existem designações para diferentes tipos de comportamentos que nos levam paradiferentes doenças, entre elas existe o autismo. Esta doença está presente na nossa actualidade e pertence ao dia-a-dia de muitas pessoas, por este motivo é tema de estudo de muitos cientistas e também como já referi motivo para a minha escolha deste tema.
O trabalho está dividido em oito pequenas partes, na primeira parte procurei compreender a origem do autismo e o porque desta designação. Nosegundo ponto, em que falo do autismo propriamente dito, defini embora de uma forma muito breve o que é o autismo, quando ocorrem as primeiras manifestações, etc. Relativamente aos comportamentos frequentes do autista, o terceiro ponto, identifiquei quais os sintomas e os comportamentos mais comuns nos portadores desta doença, seguidamente, ou seja, no quarto ponto, indiquei quais as causas para estadoença tendo em conta diversos pontos de vista. No quinto e no sexto ponto, o diagnóstico e a intervenção perante o autista, respectivamente, falei embora de uma forma muito sucinta do papel do médico e não só na vida destas crianças. Procurei também conhecer melhor o papel dos pais perante esta doença a maneira como estes devem ajudar a criança a superar as suas dificuldades e por último, pretendientender que tipo de direitos têm estas crianças.

1. A ORIGEM DA DESIGNAÇÃO «AUTISMO»

A origem do autismo ainda hoje é desconhecida, embora o estudo sobre a origem desta doença tenha começado à vários anos, há teorias que lhe atribuem uma causa genética, pelo que não há um consenso sobre a origem desta perturbação. Segundo (Pedro, 2010) a palavra autismo, provem do grego «autos», quedesigna «eu» ou «próprio», a razão pela qual se escolheu esta designação é porque um dos principais comportamentos do autista é a indiferença pelo mundo exterior, ou seja, a criança autista é uma criança isolada.
Esta designação foi empregue pela primeira vez em 1911, por Bleuler. Bleuler utilizou a expressão «autismo», para nomear a perda de contacto com a realidade, que segundo ele gerava umagrande dificuldade de comunicação. (Gadia, Tuchman, & Rotta, 2004)
Kanner, em 1943 caracterizou 11 crianças, que segundo ele apresentavam um padrão comum de comportamentos patológicos sendo o principal distúrbio a inabilidade em estabelecer relações interpessoais, a este conjunto de comportamentos designou com «autismo infantil precoce» que mais tarde acabou por ser alterada para PerturbaçãoAutística, pois havia a necessidade de se encontrar uma designação que correspondesse melhor a todos os indivíduos. (Gadia, Tuchman, & Rotta, 2004)
Asperger em 1944, encontrou alguns casos onde existiam algumas características muito semelhantes às de Kanner, mas a definição de autismo no ponto de vista de Asperger é muito mais abrangente, pois os seus estudos incluíam indivíduos com patologiaorgânica severa e outros que se aproximavam da realidade. (Idem).
Segundo (Assumpção Jr & Pimentel, 2000), Ritvo em 1976 relacionou o autismo a um deficit cognitivo, considerando-o um distúrbio do desenvolvimento, assim sendo, a relação autismo-deficiência mental passa a ser cada vez mais considerada. Outros autores como Burack 1992 fortificam esta ideia do deficit cognitivo, frisando que...
tracking img