Atps economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3349 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ANHANGUERA EDUCACIONAL LTDA



[pic]







Renata Gomes de Moraes

Jaqueline Cardoso

José Aparecido Amaral







ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA: Economia





Piracicaba

2012



ANHANGUERA EDUCACIONAL LTDA







Renata Gomes de Moraes - RA 4980934915

Jaqueline Cardoso - RA 1299931963

José Aparecido Amaral - RA 4561906866ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA: Economia









Trabalho de Complementação de Curso apresentado ao Curso de Administração – EAD da Faculdade Anhanguera de Piracicaba, como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Administração sob a orientação do Profº Dermivaldo Alexandrino dos Santos














SUMÁRIO


1.ETAPA 1 4
2. ETAPA 2 6
3. ETAPA 3 7
4. ETAPA 4 9
5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 11
























1. Etapa 1

Como objeto de estudo da ATPS Economia, escolhemos o setor de turismo, no ramo de negócios das agências de viagens.
O setor de turismo no Brasil vem crescendo a cada ano. No período de três anos, de 2007 a 2010, o segmento registrouum crescimento de 16%, com mais de 50 milhões de brasileiros viajando. De acordo com a Abeoc (Associação Brasileira das Empresas de Eventos), em 2012 é esperado crescimento de 7,8% no setor, em grande parte devido ao aumento da demanda doméstica.
O perfil do turista brasileiro mudou nos últimos anos. Antigamente, o consumo dos serviços de turismo era praticamente restrito as classes A e B.Atualmente, como veremos, houve uma democratização do setor, e as classes C, D e E também fazem parte dos consumidores de turismo.
De acordo com Sousa (2012), os gastos com viagens nos primeiros seis meses de 2012 foram de R$ 48,1 bilhões, segundo pesquisa do Data Popular. E, na última década os gastos da classe C com o turismo tiveram um aumento de 277,3%. A nova classe média, com renda deR$ 291,00 a R$ 1.019,00 por pessoa, passou de R$ 4,4 bilhões no investimento com viagens em 2002 para R$ 16,6 bilhões apenas no primeiro semestre deste ano.
As classes D e E, com ganho de até R$ 290,00 por pessoa, tiveram um aumento de 121,7% no setor turístico. De R$ 2,3 bilhões, passou para R$ 5,1 bilhões em 2012. A alta renda (classes A e B) com salários acima de R$ 1.020,00, gastou R$17,4 bilhões em 2002 e chegou a R$ 26,4 bilhões este ano, um aumento de 51,7% no setor turístico.
Em relação às regiões do país, o Sudeste continua concentrando o maior percentual de gastos, com atuais 50,7% de representatividade. Em seguida está o Sul, com 18,2%, o Nordeste, com 16,3%, o Centro Oeste, com 9,8%, e o Norte, com 5,1%.
Os destinos nacionais lideram a vontade dobrasileiro de viajar. Segundo a pesquisa do Data Popular, 82,9 milhões pretendem realizar alguma viagem em um ano. A classe C representa a maior parcela, com 60,4% da população programando alguma cidade brasileira para visitar. A baixa renda representa 24,1% e a alta renda 15,5% dos que planejam passeio.
Para destinos internacionais, 25,8 milhões de brasileiros afirmaram que estão programando paraos próximos 12 meses. Destes, a classe média representa 52,3%, seguida pela alta renda, com 27,7%, e baixa renda, com 20%.
De acordo com uma pesquisa realizada pela revista Viagem e Turismo, de 2011, o número de brasileiros que viajam três ou mais vezes por ano é de 41% - a média é de duas vezes ao ano. Entre as classes C, D e E, a freqüência é menor: 49% viajam uma vez ou menos por ano.Ainda de acordo com a pesquisa da revista, a beleza do destino é o que mais importa para o turista brasileiro na hora de escolher um lugar para viajar e, na hora de contratar uma operadora de viagem, 35% dos entrevistados afirmam que a confiabilidade da operadora é essencial.
Na hora de programar a viagem, 36% dos participantes da pesquisa informaram que recorrem as informações de...
tracking img