Atividade integradora

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5009 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
4









ATIVIDADE INTEGRADORA
TRANSGENIA











JACOBINA-BA
MARÇO DE 2012

BEATRIZ MENDES DA SILVA


ATIVIDADEINTEGRADORA
TRANSGENIA


Atividade Integradora da disciplina de Biologia Celular e Molecular do 3º período do curso de Biologia circuito 12 como requisito parcial para aprovação na disciplina.







JACOBINA-BA
MARÇO DE 2012


INTRODUÇÃO


A transgenia consiste em desenvolver organismos geneticamente modificados (OGMs), ou seja,em transpor uma característica de uma espécie para outra, introduzindo os genes da primeira no DNA da segunda. O objetivo é melhorar o organismo, por exemplo, fazer uma planta se tornar mais resistente a uma praga, como por exemplo, uma laranja ter uma dose extra de vitamina C e uma bactéria produzirem insulina, o que diminui o custo de fabricação de remédio.


TRANSGENIA

A transgeniatornou-se um assunto mundial, por desenvolver (OGMs) organismo geneticamente modificado, quer dizer inserir uma característica de uma espécie para outra, introduz genes de alguns seres vivos no DNA em outros que não são de sua espécie com objetivo de melhorar o organismo das plantas tornado-as mais resistente as pragas, podendo ser ou não a solução para o crescimento populacional e o desenvolvimentoagrícola.
A soja denominada Roundup Ready da Monsanto, quem vem sendo plantada ilegalmente no sul do Brasil, recebeu genes de uma bactéria para tornasse resistente ao herbicida Roundup, fabricado pela própria Monsanto. 
Hoje aproximadamente 96% área plantada com transgênicos plantados no mundo estão concentrados em três países: EUA, Canadá e Argentina. Quatro cultivos comerciais representam99% dos transgênicos plantados no mundo: soja, milho, algodão e canola.  Embora a biotecnologia traga inúmeros riscos para o meio ambiente e a saúde, os testes para provar sua segurança ainda são muito superficiais. Experimentos conduzidos para testar a segurança ambiental são normalmente de curta duração e realizados em pequena escala.
Pesquisas comprovam que esta produção não dura mais do queuma estação, enquanto os danos ambientais podem levar anos para tornarem-se aparentes. Estudos comprovam que as medidas que tentam garantir a segurança dos alimentos transgênicos para a saúde também são fracas. Isso porque, tanto nos EUA onde em 1989 foi comprovado que consumidores do complemento alimentar que continha triptofano produzindo por bactérias transgênica adquiriram a síndrome deeosinofilia-mialgia causando uma doença séria em dezenas de pessoas, quanto no Brasil, as autoridades que regulamentam este tipo de produto baseiam-se nas evidências apresentadas pelas próprias empresas para aprovar o uso e a distribuição de produtos transgênicos, sendo que estas evidências devem ser apresentadas por Institutos de pesquisas que não tenham envolvimento com estas empresas, para que possamosou não consumir este produto. Desde 1998, quando entrou com o pedido de autorização para o plantio comercial de soja transgênica junto à CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Bio segurança), a Monsanto nunca apresentou qualquer tipo de estudo sobre os impactos sobre o meio ambiente, conforme exige a legislação brasileira. Dentre os riscos para o meio ambiente, podemos listar a poluição genética, aprovável extinção da planta nativa, a perda de biodiversidade, o surgimento de ervas daninha resistente a herbicidas (preocupação das fábricas de pesticida), o aumento do uso de agrotóxicos e a perda da fertilidade natural do solo.
O Protocolo estabelece procedimentos que estão legalmente de acordo com a OMC e, por isso, elimina qualquer possibilidade de questionamento quanto às leis de...
tracking img