Assistente social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1537 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1- INTRODUÇÃO

A definição da loucura em termos de ‘’doenças’’é uma operação relativamente recente na historiada civilização ocidental. A realidade sobre a loucura perpassa , por varias historias e fatos que fundamentam a doença psíquica . Essa concepção pressupõe a doença como um dado natural imutável , cuja abordagem , apenas teria variado através dos tempos era , essa historia nãoseria uma historia de loucura mas a historia soberana de uma medicina mental racional . ( Foucalt,1961)
Para entendermos loucura, não podemos nos levar a fatos da contemporaneidade da loucura . E com efeito o que é originário no processo de constituição não é psiquiatria ,tornando possível justamente a partir dele, isto é a (posteriori) mas o ato que cria a distancia entre arazão e aquilo que nega como tal , isto é não razão. É desta ruptura que nos fala Foucault ,para mostrar que a loucura emerge da relação com uma razão que necessita dela (loucura) para existir como razão . Resgatar na historia a região originaria e momentânea em que a loucura e a não loucura , razão e não razão estiveram confusamente implicadas , uma existindo pela relação da outra ,numa experiência individual que acabou por se dividir .
No mundo moderno das doenças mentais o homem não se comunica mais com o louco dado o corte razão não razão , há por um lado o homem racional que encarrega o médico de lidar com a loucura . E por outro lado, há o louco cuja relação com o outro se faz por intermédio de uma racionalidade abstrata que é ordem construção física emoral , pressão anônima do grupo exigência de conformidade, entre o homem de razão e o homem de loucura , não há mais linguagem comum. O silencio que a Psiquiatria, monologo da razão sobre a loucura segundo Foucault, não é a historia do discurso psiquiátrico , mas a arqueologia desse silencio .
Podemos esquematizar a gênese da loucura segundo três grandes momentos:
- período de liberdadee de verdade que inclui os últimos séculos medievais
- o período da grande internação que abrange os séculos XVII e XVIII.
- contemporânea , após a revolução Francesa quando cabe a psiquiatria a tarefa de lidar com os loucos que abarrotavam os asilos(FOUCALT,1961). As pessoas afastadas do convívio social eram tratadas como loucos por seremleprosos,pobres e vagabundos de cobrança alienada .Naves de loucos que atracavam nos portos da Europa,era assim que eram tratados os pacientes psíquicos o diferencial de hoje é que existem hospitais especializados que contam também, com o ( CAPS) Centro de Atenção Psicossocial, que veio para diminuir a super lotação nos hospitais e acabar com os internações que são feitas no mesmo. Mas, olouco ainda e visto com muita discriminação família e na sociedade uma vez que o louco e visto como ser que nada tem a oferecer (FOUCALT,1961).
A reforma Psiquiátrica no Brasil foi desencadeada no momento de intensa mobilização social pelo retorno da ordem democrática e foi fortemente influenciada por movimento de reforma na assistência psiquiátrica na Europa e nos EUA , na segundametade do século 20.
Birman (1992) analisando esses movimentos europeus e norte – americanos , nas suas limitações e possibilidades de afirmação da cidadania dos reformistas denominados comunidade terapêutica e psicoterapia institucional tinham como cacteristicas está circunstância as instituições psiquiátricas admitir a participação social dos internados naquela micro sociedade .Desta maneira ,esses movimentos não suportavam o limite fundamental da psiquiatria a impossibilidade de inserção da loucura no espaço social que havia sido conformado excluindo a cidadania , encontrava este limite intransponível. Assim a loucura foi compreendida como uma forma de alienação social e o projeto político de cidadania para o seu reconhecimento como sujeito de razão...
tracking img