Assistência de enfermagem nas infecções sexualmente transmissíveis

Introdução:........................................................................................................................1
Candidíase Vulvovaginal:.................................................................................................2
Tricomoníase:....................................................................................................................3
VaginoseBacteriana:........................................................................................................4
Clamídia:..........................................................................................................................5
Gonorreia:.........................................................................................................................6
Infecção peloPapilomavirus Humano:.............................................................................7
Conclusão:........................................................................................................................8
Referências Bibliográficas:...............................................................................................91
Introdução:

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são consideradas, como um dos problemas de saúde mais comuns. Em países em desenvolvimento essas doenças são associadas as cinco mais frequentes de busca por serviços de saúde.
Existem infertilidades femininas e masculinas, a transmissão da mãe para o filho, determinando perdas gestacionais oudoenças congênitas e o aumento do risco para infecção.
As mulheres com infecções não tratadas por gonorreia e/ou clamídia, 10 a 40% desenvolvem doença inflamatória pélvica (DIP). Alguns dados de países desenvolvidos indicam que mulheres que tiveram DIP têm probabilidade 6 a 10 vezes maior de desenvolver gravidez ectópica.
Estudos mostram que pessoas com DST e infecções do trato reprodutivas nãoulcerativas têm risco aumentado de se infectar pelo HIV, o que aumenta se a doença for úlceras genitais.
O sistema de saúde precisa estar preparado para implementar estratégias de prevenção e pronto-atendimento com intervenção terapêutica imediata, disponibilização de insumos, mantendo confidencialmente e ausente de discriminação.
As mulheres, frequentemente assintomáticas, não são orientadas noseu atendimento ginecológico. Os serviços que atendem DST tendem a ser clínicas especializadas, o que estigmatiza a população que as procura. As assistências às DST devem ser realizadas de forma integrada, pelo Programa de Saúde da Família, Unidades Básicas de Saúde (UBS) e serviços de referência regionalizados. Deve haver participação e controle de ações pelas organizações da sociedade civil noacesso aos serviços, no cumprimento das atividades para aquisição de medicamentos, na disponibilização de insumos laboratoriais, na disponibilidade de preservativos e outros insumos.

2
Candidíase Vulvovaginal:

É uma infecção da vulva e vagina, causada por um fungo chamado, cândida albicans comensal que habita a mucosa vaginal e digestiva, que cresce quando o meio torna-se favorável paraseu desenvolvimento. A relação sexual não é a principal forma de transmissão. Esse microorganismo geralmente se aloja na pele, na boca (sapinho), no estômago, no intestino e no órgão genital feminino. 

Os sintomas aparecem quando ocorrem alterações de imunidade, como: coceira e sensação de ardência na vulva, corrimento vaginal branco espesso e aderente, inflamação vulvar com vermelhidão.Algumas mulheres têm apenas uma leve irritação e coceira, grande desconforto durante a relação sexual, a mulher com candidíase transmite ao homem, que dificilmente desenvolve os sintomas, eventualmente o parceiro sexual aparece com pequenas manchas vermelhas no órgão genital masculino, mas acaba se tornando um reservatório da doença. Devido a isso, o homem deverá fazer também o tratamento, para que...
tracking img