Aspectos comparativos da evolução das plantas

As Filicíneas são Traqueófitas que se disseminam apenas por
esporos. Sendo vasculares são mais evoluídas que as Briófitas; no
entanto, a ausência de uma semente torna-as menos evoluídas que
umaGimnospérmica. Este facto também pode ser analisado atravé s
das suas gerações esporófita e gametófita.
As plantas, porque possuem meiose pré-espórica, possuem
alternância de gerações, logo umageração esporófita, diplóide, pois
resulta da transformação de um ovo em esporos. A geração
gametófita, como corresponde à transformação de esporos em
gâmetas, coincide com a haploidia. Significa isto quequanto mais
evoluída for a planta mais desenvolvida é a geração esporófita, logo a
diplofase, o que leva à existência de um maior número de
cromossomas, logo uma maior variabilidade genética e umamaior
capacidade de adaptação ao meio.
A Filicínea, mais evoluída, já possui uma geração esporófita mais
desenvolvida que a geração gametófita, sendo o esporófito e o
gametófito nutricionalmenteindependentes. A Angiospérmica inverte
a situação da Briófita, pois a geração esporófita é dominante em
relação a uma reduzida geração gametófita, sendo o gametófito
parasita do esporófito.
AsGimnospérmicas introduzem a novidade das sementes, no
entanto, devido à ausência de flor, estas sementes são nuas e
desprotegidas de um pericarpo. A presença de uma semente permite
ao embrião aguardarmelhores condições de sobrevivência,
mantendo-se em latência, e as reservas permitem a sua nutrição
durante o desenvolvimento embrionário.É com as Gimnospérmicas
que surge o tubo polínico e afecundação independente
da água.
Com as Angiospérmicas surge a flor, e por isso a polinização
entomófila, que, ao permitir cruzar diferentes plantas, aumenta a sua
variabilidade genética. A sementepassa a estar encerrada num
pericarpo, pois o óvulo que lhe deu origem está protegido por um
ovário, parte constituinte do carpelo. A presença de um pericarpo
atrai os animais e assim aumenta a...
tracking img