As prisões da miséria

RESENHA da obra As Prisões da Miséria pela aluna Ocelí Siqueira Eveling

As Prisões da Miséria
Loïc Wacquant, tradução, André Telles
Rio de Janeiro, 2001

A obra apresenta os instrumentosusados nos Estados Unidos para combater a criminalidade, seus efeitos, impactos e amplitudes transcontinental e mostra a maneira que alguns países tratam a criminalidade levando em conta o rigor penal quepartindo de Washington e Nova York aporta em Londres e se ramifica por todo o continente. A prática do “rigor penal” é exercida baseada em teorias, obras literárias, publicações em revistas edoutrinas que apresentam um perecimento do setor social do Estado e o desdobramento de seu braço penal, de maneira a penalizar a miséria e favorecer economicamente a “guerra contra o crime” que estácarregada de preconceitos sociais, raciais e étnicos.
Toda esta influencia, devido sua posição na estrutura das relações, gera ênfase nas ações penais buscando uma unificação e por outro lado desconsiderandoassim o fator social e econômico, seu e dos demais protagonistas, levando a redução da missão do Estado redefinindo assim a mesma com a ampliação na intervenção penal, como declara o autor destaobra: “Supressão do Estado econômico enfraquecimento do estado social, fortalecimento e glorificação do Estado penal.” Importando assim, para um grande número de países do império soviético e fortementea América Latina, tanto no plano econômico como no penal, teorias, termos e teses sobre o crime, a violência, a justiça, a desigualdade e a responsabilidade do indivíduo, da comunidade e dacoletividade nacional.
O autor enfatiza Teoria “Tolerância Zero” uma vez que ramificou por todo continente e Europa, provocando efeitos diversos, até chegar a gerar seu questionamento em Nova York.Segundo o autor a Europa sofreu pânicos morais que por sua plenitude mudou os rumos das políticas estatais e ainda redesenhou a fisionomia da sociedade atingida, criando ainda termos com significação tão...
tracking img