As duas cachorras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (729 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Colégio Estadual Prof. Bento Munhoz da Rocha Neto. E.F.M.P.
Professora: Maria Aparecida
Disciplina: Português

As duas cachorras

N°: 01 Aluna: Adna Pessoa
N°: 08 Aluna: Bianca dos SantosNegrão
N°: 09 Aluna: Carla Mylena Schmak
N°: 12 Aluna: Fabiana Negrão Gomes

Paranavaí

Título: As duas cachorras
Autor: Monteiro Lobato

Moravam no mesmo bairro. Uma era boa e caridosa;outra, má e ingrata. A boa, como fosse diligente, tinha a casa bem arranjadinha; a má, como fosse vagabunda, vivia ao léu, sem eira nem beira. Certa vez… a má, em véspera de dar cria, foi pedir agasalho àboa: - Fico aqui num cantinho até que meus filhotes possam sair comigo. É por eles que peço… A boa cedeu-lhe a casa inteira, generosamente. Nasceu a ninhada, e os cachorrinhos já estavam de olhosabertos quando a dona da casa voltou. - Podes entregar-me a casa agora? A má pôs-se a choramingar. - Ainda não, generosa amiga. Como posso viver na rua com filhinhos tão novos? Conceda-me um novo prazo.A boa concedeu mais quinze dias, ao termo dos quais voltou. - Vai sair agora? - Paciência, minha velha, preciso de mais um mês. A boa concedeu mais quinze dias; e ao terminar o último prazo voltou.Mas desta vez a intrusa, rodeada dos filhos já crescidos, robustos e de dente arreganhados, recebeu-a com insolência: - Quer a casa? Pois venha tomá-la, se é capaz…

Resumo: As duas cachorras.
Em umbairro, moravam duas cachorras, uma era boa e carinhosa, a outra má e ingrata. A boa era cuidadosa, sua casa era arrumada. A má era vagabunda vivia sem fazer nada, sem ter onde ficar.
Certa vez... Amá perto de criar, foi pedir agasalho á boa.
- Fico aqui num cantinho até que minha ninhada possa sair comigo. É por eles que estou te pedindo.
A boa muito generosa emprestou sua casa inteira.Nasceram os filhotes e já estavam de olhos abertos quando a dona da casa voltou:
- Pode devolver minha casa agora?
A má começou a choramingar.
- Ainda não posso devolver sua casa. Como vou viver na...
tracking img