As dificuldades ortograficas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3976 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
Trabalho de Conclusão de Curso em Jornalismo



REVISTA INFANTIL PIMENTINHA












Disciplina:Elaboração de TCC

Professora: Ana Spannenberg

Alunas: Aparecida Bastos e Marta Santana










SALVADOR
Maio,2007.





1. Apresentação


O público infantil baiano encontra-se carente de produtos midiáticos voltados para as suas necessidades. O presente trabalho propõe-se a primeira revista baiana infantil, intitulada “Pimentinha”, que será um veículo jornalístico voltado para o incentivo da formação intelectual das crianças baianas. O impresso pretende estimular também uma maior participaçãodos pais, na compreensão da realidade social em que vivem e oferecer aos professores um aliado para a educação fora da sala de aula. É, ainda, nossa intenção estimular a mídia brasileira a desenvolver produtos jornalísticos voltados para o público infantil, contribuindo ainda mais para que o pequeno leitor inicie sua reflexão crítica na sociedade.
A revista infantil “Pimentinha” terá periodicidademensal, 48 páginas e 6 editorias e será voltada para a formação de futuros leitores, através de cultura, cidadania, esporte e, principalmente, de uma apresentação crítica da realidade social baiana. Com isso, vamos fazer com que o jornalismo infantil na Bahia cumpra o papel de informar e, de modo reflexivo e lúdico, educar. Enriquecendo o conhecimento das crianças de 7 a 12 anos, da rede pública eparticular do estado da Bahia, acredita-se poder desenvolver a potencialidade crítica das crianças e estimular sua participação na construção da cidadania.



















2. Justificativa

A iniciativa desse projeto surgiu a partir de um interesse pessoal em contribuir para que as crianças baianas possam dispor de um veículo capaz de oferecer cultura, educação eentretenimento. Observando a ausência de um veiculo nessa região, foi perceptível que poderíamos colaborar para esse público oferecendo informação que auxilie na construção crítica e social desses futuros formadores de opinião.
Esse projeto não pretende fazer uma revista para todas as crianças do Brasil, como tantos outros já fazem, mas optou-se por focar a criança da Bahia por respeito a esse estado eàs crianças baianas, que são tratadas de uma maneira estereotipada, pela mídia assim como todos os baianos e nordestinos. A intenção é tratá-la como ela realmente é, isso não significa dizer, entretanto, que não serão oferecidas informações culturais de outros lugares.


A Bahia é um estado que, por si só, pode representar diferentes culturas. Possui um grande leque de crianças com descendênciade diversos lugares do Brasil e do mundo. A partir dessa observação, nossa intenção é utilizar tal característica para construir matérias jornalísticas que proporcionem o entendimento de outros estados e, também, outras nações, além de abordar a miscigenação da população baiana (entre Africanos, espanhóis, portugueses japoneses, italianos, chineses, peruanos e etc).

A idéia partiu de umaexperiência prática em não encontrar, nas bancas da cidade de Salvador, uma revista que falasse a linguagem das crianças, com conteúdos interessantes, oferecendo também entretenimento educativo, porém com cautela, mais conteúdo jornalístico e menos diversão. Somado a isso, a experiência empírica de convivência com o público de 7 a 12 anos, proporcionou às autoras uma reflexão sobre a importância e ointeresse das crianças, dos pais e dos educadores em obter um recurso jornalístico que contribua como elemento básico da educação e cultura sobre a realidade social.

Pode-se notar também que, nas décadas de 1980 e 1990, as crianças não podiam contar com nenhum meio de comunicação. Suas únicas leituras eram os livros didáticos e de literatura infantil ( Menino Maluquinho, de Ziraldo, O Pequeno...
tracking img