As diferentes realidades sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1446 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
AS DIFERENTES REALIDADES SOCIAIS, ECONÔMICAS E CULTURAIS DAS REGIÕES ABORDADAS NO FILME CENTRAL DO BRASIL

A Central do Brasil serviu de cenário para o filme, de mesmo nome, gravado em 1998.
A Central do Brasil abrange a região do circunvizinha da estação de trens da Central do Brasil, na cidade do Rio de Janeiro.
No Século XIX a Central do Brasil era a estação que dava inicio a Estrada deFerro Dom Pedro II, que se estendia até os estados de Minas Gerais e São Paulo. Durante o Século XX o transporte ferroviário de longa distância perdeu importância. Foram instalados, no decorrer dos tempos, diversos outros terminais voltados ao transporte de passageiros.
Com uma industrialização tardia foi inevitável uma urbanização caótica, onde poucos países, assim como o Brasil, sofreram tantasmudanças nos últimos trinta anos. A deficiência da reforma agrária, os problemas climáticos e as falsas promessas dos políticos em volta do milagre econômico dos anos 70 energizaram a migração interna no eixo norte-sul.
Estas falsas promessas se intensificaram criando nos nordestinos uma expectativa ilusória, formando uma massa migratória de nordestinos, que desde o início do século abandona osertão em busca de melhores oportunidades na cidade. Sendo assim, o contingente de miseráveis nos centros urbanos aumentou, entregando-os ao tráfico e assalto, como alternativo para sobrevivência, pois passaram a ser vistos pela sociedade como descartáveis.
Sabemos que não existe mais a ilusão do milagre que resolveria, de um golpe só, os problemas estruturais brasileiros. Confronta-se, neste caso,a própria sociedade, o país real, tão distante do “país do real” (ilusão), aquele das estatísticas oficiais, que procurava mimetizar o modelo neoliberal e vender, mais uma vez, a ilusão de primeiro-mundo. Ao contrário do Brasil da indiferença e da impunidade, o filme parte à procura de outro país. Um país onde o humanismo, o afeto e a inocência talvez ainda sejam possíveis.
A história de Centraldo Brasil é simples. Um garoto de nove anos, introspectivo, endurecido pela vida, mas digno, parte à procura do pai que nunca conheceu. A viagem de Josué em direção ao seu passado inverte o eixo de migração norte-sul e permite que o menino redefina a sua própria história. Ele é acompanhado na sua busca por uma velha mulher que se tornou insensível, cínica, mas que também busca a segunda chanceque a libertará de sua existência mesquinha.
Uma pequeníssima odisséia: um garoto em busca do pai, uma mulher à procura dos seus sentimentos, um país à procura de suas raízes. Todos conhecem o significado da palavra perda, mas não abdicaram do direito de resistir, de mudar o curso das coisas.
O filme de Walter Salles foi uma narrativa que me incitou a retomar a questão da constituição doparticular, pelo sentimento de comunidade de vida e de discurso que Dora, a professora aposentada, escrevedora de cartas, despertou no professorado brasileiro, o marco pelas dificuldades do exercício e permanência numa profissão que, contraditoriamente, assalta e recompõe, a cada dia, o humano em cada um.
Dora traz com ela a escola, embora, no filme não apareça nenhuma escola. Como ausência, como negação– não acesso, não permanência, não aprendizado – que se encontra ali a escola dentro de seu enredo. Os efeitos perversos dessa ausência, numa sociedade que se vende como democrática e escolarizada. Escancararam-se, então, o insucesso e as possibilidades como profissionais de educação nesse final de milênio globalizado e desumanizado – na verdade um choque de questões que poucos comentam, pela faltade expectativas ou por medo do sistema perverso, onde se encontrava a sociedade brasileira.
Dora materializada como insucesso e como possibilidade. Nela está o Salário empobrecedor que frustra projetos, desejos e necessidades, que impossibilita o acesso aos bens culturais que estão na base de nosso próprio fazer, que empurra a sociedade para a periferia e cidades. Em seus gestos duros, em seu...
tracking img