Artigo sobre literatura portuguesa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (772 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Visão da temática amorosa na Escola Classicista


Tatiane C. Freitas¹





Na escola Quinhentista portuguesa há um predomínio entre a razão sobre a emoção, isto é notório porque seobserva que as verdades universais imperam sobre os problemas particulares, isto é, passa-se a ter mais subjetividade nos poemas (a expressão dos sentimentos era controlada pela razão); surgindo assimuma poesia onde a realidade submeta a razão fazendo os autores, tratar os mais dos assuntos universais dominando as emoções. Isso tudo sem deixar a formalidade Clássica, pois os poemas apresentam rimarica, métricas rigorosas e uso de cenas mitológicas.
Ao analisarmos a temática do amor presente nos poemas de Antônio Ferreira “Ó olhos, donde amor suas flechas tira” e “Damas de corte, em cujasarandelas” de Fernão Rodrigues Lobo Soropita , percebemos que apesar de pertencerem a mesma escola possuem características diferentes, pois o primeiro é extremamente clássico por sua temáticalírico-amorosa e a proposta de Soropita, possui traços da escola seguinte.
No aspecto formal da poesia de Antônio Ferreira, percebe-se que possui quatorze versos divididos em dois quartetos e doistercetos,




________________________________________________________
¹Graduando de Letras Português/Espanhol da Universidade Federal do Rio Grande. Artigo realizado para a disciplina “LiteraturaPortuguesa I”, ministrada pelo professor Artur Emílio Alarcon Vaz.


formando assim um soneto, possui versos decassílabos com rimas externas
interpoladas na forma de ABBA nos quartetos e rimasexternas cruzadas na forma CDC, nos tercetos há encadeamento, ou seja, uma idéia é iniciada e um verso e concluída no verso posterior, características típicas de um poema classicista.
Quanto àtemática lírico-amorosa, tem-se neste poema um eu-lírico mais neutro, universal e objetivo, apresentado nos versos “Ó olhos, donde Amor se esconde e prega/ As almas e, em pregando-as se retira!”, aqui...
tracking img