Artigo de opiniao-ditadura militar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (326 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A Conquista da Honra

Um filme de Clint Eastwood
com Ryan Phillippe, Jesse Bradford, Adam Beach, Jamie Bell, Robert Patrick, Paul Walker.

Fevereiro de 1945. Apesar da vitória anunciada dosaliados na Europa, a guerra no Pacífico prosseguia. Uma das mais importantes e sangrentas batalhas foi a pela posse da ilha de Iwo Jima, que gerou uma imagem-símbolo da guerra: cinco fuzileiros eum integrante do corpo médico da Marinha erguendo a bandeira dos Estados Unidos no monte Suribachi. Alguns destes homens morreram logo após este momento, sem jamais saber que foram imortalizados. Osdemais permaneceram na frente de batalha com seus companheiros, que lutavam e morriam sem qualquer ostentação ou glória.
O filme foca, principalmente, as mentiras e verdades construídas pelamídia (e governo) na época com o intuito apenas de ganhar dinheiro, não querendo valorizar os heróis de guerra mas sim explorá-los para ganhar mais dinheiro para investirem nos combates. Mesmo tendobons momentos ( as lembranças dos combatentes pós-guerra) o filme as vezes fica arrastado e lento.Por um lado é bom, pois mostra bem as sequelas vividas pelos combatentes que saem vivos da guerra etbm o drama dos 3 combatentes ''heróis'' que são explorados pelo governo; mas por outro , fica muito e só nisso, não acontecendo nada de novo , o que nos faz torcer para virem logo as cenas debatalha.A fotografia (cinzenta, da cor da ilha) tá bem legal e as cenas de combate tbm foram bem feitas. O elenco tbm tá bom, mas achei que faltou alguem ''de peso'' pra ficar melhor.
Como a comparaçãocom ''O Resgate do Soldado Ryan'' é sempre inevitável, devo dizer que ''O Resgate...'' é superior, tanto no roteiro quanto na parte técnica e principalmente no realismo. Mas ''A Conquista daHonra'' ganha pontos por ter a coragem de desmascarar algumas coisas envolvendo o governo e a mídia norte-americanos, que sempre pintam os combatentes de heróis, mas sempre com segundas intenções.
tracking img