Artigo 3

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1545 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Viçosa-MG, 11 e 12 de agosto de 2011

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE SEGURANÇA DO
TRABALHADOR EM UMA INDÚSTRIA MOVELEIRA
DO ESTADO DE MINAS GERAIS
1

2

3

Cristiano Bonifácio Ferreira ; Luciano José Minette ; Amaury Paulo de Souza ; Rodrigo Ferreira
5
6
Pereira; Valéria Antônia Justino Rodrigues ; Camila Soares Braga
1

2

Universidade Federal de Viçosa (cristiano.ferreira@ufv.br); UniversidadeFederal de Viçosa
3
4
(minetti@ufv.br); Universidade Federal de Viçosa (amaurysouza@ufv.br); Universidade
5
Federal de Viçosa (rodrigof.pereira@ufv.br); Universidade Federal de Viçosa
6
(valeriaufv2001@yahoo.com.br); Universidade Federal de Viçosa
(camilasbraga@yahoo.com.br)

Resumo: A preocupação com segurança e a saúde do trabalhador é uma
preocupação atual nas indústrias moveleiras no Brasil. Oobjetivo deste estudo
foi analisar as condições de trabalho existentes em uma indústria moveleira de
Minas Gerais que podem comprometer a integridade física e psíquica dos
trabalhadores. Para analisar as condições de trabalho foram feitas observações
in locus. As indústrias apresentaram algumas inconformidades em relação à
sinalização de segurança, presença de “sujeira” e uso inadequado dosequipamentos de segurança, embora fornecesse treinamento. Através desse estudo
foi possível observar as questões relacionadas à segurança do trabalho dentro
da indústria do setor moveleiro de Minas Gerais.
Palavras-chave: ergonomia; prevenção de acidentes; conformidade.
1. Introdução
No Brasil, o setor moveleiro em algumas regiões é formado por
profissionais com baixa escolaridade e especialização (ANDRADE,2006).
Estes fatores contribuem para o agravamento das questões relacionadas à
segurança do trabalho, uma vez que a falta de capacitação para exercer uma
determinada atividade aumenta os riscos de acidentes no trabalho.
Atualmente as questões relacionadas com a segurança do trabalho e
com a ergonomia tem sido uma preocupação dentro do mercado de trabalho
das indústrias moveleiras. Entre as normasregulamentadoras, a NR-17
normatiza os parâmetros que permitem a adaptação das condições de
trabalho, às características psicofisiológicas dos trabalhadores, contribuindo
para um maior conforto, segurança e desempenho do trabalhador.

1

Viçosa-MG, 11 e 12 de agosto de 2011

Segundo Souza et al. (2002), as indústrias de transformação, como as
de madeira, ocupam posição de destaque pela freqüênciarelativa e gravidade
dos acidentes de trabalho. Essa posição é observada pelo tipo de dano
causado ao trabalhador, freqüência de lesões permanentes e pelo longo
período de afastamento do trabalho. Além disso, essas indústrias são
responsáveis pelo terceiro maior coeficiente de freqüência de acidentes fatais
no Brasil, perdendo somente para as indústrias de extração mineral e para a
construçãocivil (SANTOS et al., 2008). No entanto, treinamento da mão de
obra aliado à conscientização sobre a importância do correto uso de
equipamentos de proteção coletiva (EPC) e equipamentos de proteção
individual (EPI) e assim como de ferramentas e máquinas podem reduzir os
acidentes neste setor.
O objetivo deste estudo foi analisar as condições de segurança do
trabalhador em uma indústria moveleira deMinas Gerais, visando garantir a
integridade física e psíquica dos trabalhadores.
2. Material e métodos
Foram realizadas observações in locus do dia típico de trabalho,
buscando identificar os pontos críticos e não conformidades relacionadas à
segurança do trabalho. As observações foram realizadas nos seguintes
arranjos físicos da indústria: almoxarifado, instalações elétricas, máquinas ecompressores, instalações sanitárias e vestiários, proteção contra incêndios e
armazenamento de materiais. Além disso, verificou-se a utilização dos
equipamentos de proteção individual (EPI) e a existência de equipamentos de
proteção coletiva (EPC).
3 Resultados e Discussão
3.1. Arranjo físico
As áreas destinadas à passagem de pessoas e matérias-primas
estavam desobstruídas e possuíam largura de 1,2 m...
tracking img