Artes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3700 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
GT Ensino de Artes e Novas Mídias




Como anda o ensino de artes nas escolas públicas de Petrolina-PE ?





Orientanda: Leiliane Oliveira Chaves Coelho[1]
Orientador: Flávia Maria de Brito Pedrosa Vasconcelos[2]








RESUMO




O presente trabalho trata-se de um estudo e pesquisaque teve intuito de fazer um diagnóstico do ensino de Artes na região de Petrolina-PE, através da visão do arte-educador. Utilizando-se de entrevistas e intervenções nas escolas, pode-se perceber a identificação das principais dificuldades, necessidades e possibilidades, além de evidenciar a precariedade que se encontra o ensino de artes nessa região.






Palavras-chave: Ensino deArtes. Diagnóstico. Arte-educador.




























Petrolina - 2009



INTRODUÇÃO




As raízes históricas da educação brasileira carregam na bagagem da missão jesuítica, um ensino de artes com uma característica evangelizadora que possibilita a garantia de unidade política e com o compromisso de reduzir aquilo que a Europa seconstituía como “verdade artística” (PEIXE, 2007).

No Brasil o ensino da história da arte foi estabelecido Pela Academia Imperial de Belas Artes e ministrado em 1980, com bastante precariedade, até que se encontrasse melhor estrutura junto á Universidade do Brasil, a partir de 1931. O ensino de teorias e práticas da velha academia do Rio de Janeiro logo se espalhou por outras escolas debelas artes do país, iniciando-se na Bahia. Em 1970 foram criados cursos de licenciatura educação artística, sendo a história da arte dirigida somente para a formação de artistas. Para os que buscavam conhecimentos teóricos se deparavam (e ainda se deparam) com um ensino escasso. (ZANINI, 1994)

Em relação ao ensino de artes, aponta BACARIN et al. (2005), só foi incluído no currículoescolar por causa de promulgação de lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº. 5.692/71, com a denominação de educação artística sendo considerada uma atividade educativa e não uma disciplina. Essa Lei representou uma conquista por ter dado sustentação legal a tal prática educacional e também por reconhecer a importância da arte na formação dos indivíduos.

Porém, o resultadodessa proposição foi contraditório e paradoxal. “Para que a arte surgisse como componente curricular da educação escolar brasileira teve que percorrer por um longo processo histórico permeado de intercruzamentos de concepções estéticas, filosóficas e pedagógicas, de práticas educativas, de visões de mundo e de convicções políticas, ou seja, uma teia de significados múltiplos”. Só a partir de 1990 éque o movimento brasileiro de Arte-Educação se preocupou com a educação escolar, organizando-se para por em prática a “Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A obrigatoriedade da introdução da arte na escola regular, com a LDB de 1996, representou avanços conquistados após longo processo de debates, conscientização, organização e mobilização por parte dos profissionais da Arte-Educação”.(BACARIN et al., 2005)

Embora a arte tenha conseguido, por meio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional estar nos currículos escolares, como área de conhecimento, isso não acontece na prática permanecendo ainda num espaço secundário.

Vale ressaltar que o conhecimento em artes é importante para a formação de qualquer individuo, pois além de integrar as pessoas, fazcom que elas tenham outra forma de se expressar, podendo através dela demonstrar aquilo que se sente ou pensa , além de fazer com que a pessoa tenha um analise crítica daquilo que vê, ouve ou faz, tendo assim, uma base para construir uma idéia ou projeto (JÚNIOR, 2009). Através disso, pode-se perceber que o estudo da arte estimula o pensamento critico, que é de crucial importância para o...
tracking img