Arte sem preconceitos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2846 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO EaD DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS – MEC/SECAD E CIPEAD/NEAB-UFPR LOURENI APARECIDA BASTIANI PARMIGIANI

ARTE SEM PRECONCEITOS

SANTO ANTONIO DO SUDOESTE – PARANÁ 2011

Digo adeus à ilusão Mas não ao mundo. Mas não a vida, Meu reduto e meu reino. Do salário injusto, Da punição injusta, Da humilhação, da tortura, De terror,Retiramos algo e com ele construímos um artefato Um poema Uma bandeira. Ferreira Gullar 2

Sumário

1. 2.Introdução 2. 3. Justificativa 3. 4. Objetivo Geral e Objetivos específicos

página 4 página 5 página 7

4. 5. Fundamentação teórico-metodológica

página 8

5. 6. Descrição das impressões iniciais

página 11

6. 7. Referências

página 14

7. 8. Anexos

página 15

3 2. Introdução As raízes da cultura brasileira têm origem na cultura africana, nos modos de ser, de se organizar, nos usos e costumes, na religiosidade, tudo isso, independente da origem étnica de cada brasileiro, faz parte de seu dia a dia. Ou seja, representam formas para expressar um jeito de sentir, sobreviver e construir a vida. Estudar as Africanidades é tomar conhecimento, observar,analisar as formas de ver o mundo, a vida, é fazer um trabalho onde à convivência e a luta pela dignidade seja parte de todos nós, não só daqueles que a sociedade marginaliza. Também é conhecer e compreender os trabalhos e a criatividade dos africanos e de seus descendentes, situando tais produções na construção da nação brasileira. Com este estudo pretende-se levantar possibilidades e caminhos para quepossamos ter consciência das diferenças, a superação dos preconceitos e as pequenas atitudes possam fazer toda a diferença. Que os temas preconceito e discriminação sejam levados às salas de aulas de uma forma consciente onde nossos educandos possam debater e compreender que o que difere uma pessoa da outra é o respeito e a educação, e nunca a cor da pele, classe social, religião ou diversidadesexual. Que este ainda, contribua para afirmação de sua identidade e cidadania. Com o objetivo de aprimorar meus conhecimentos, sempre estou em busca de formação profissional que me deem suporte para um trabalho de qualidade em sala de aula. Assim me inscrevi no curso de Educação para Relações Étnico Raciais, visando fazer uma reflexão sobre nossas ações a respeito dessa temática nas escolas, emnosso cotidiano e na sociedade. No decorrer do curso nos foi possibilitado uma mudança de postura frente à problemática vivenciada pelos afrodescendentes. Os textos

apresentados nos módulos foram bem relevantes, interessantes e de muitos questionamentos. Estamos aprendendo, que este curso seja apenas um degrau a mais, um passo a mais, de uma longa caminhada que teremos pela frente. Se estivermosde coração abertos para desconstruir os estereótipos, preconceitos e intolerâncias, faremos um trabalho que possivelmente renderá para as
4

futuras gerações. Que o respeito pelo outro, o seu semelhante seja valorizado, torne-se parte da dignidade do Ser Humano, e não apenas mero discurso de tantos. A Arte por ser uma disciplina que integra a cultura e história, o Plano de Ação será direcionadapara essa área. Visando a valorização do povo negro que tanto contribuiu para o enriquecimento da nossa cultura. Assim, buscaremos em nossas raízes os principais compositores da MPB, os poetas, os artistas, escritores e atletas que defendem as cores de nossa terra, de nossa bandeira, de nossa nação.

3. Justificativa Somos um país multi/pluricultural, formada pelo Africano que foi trazido comoescravo, pelo indígena que era o habitante natural desta terra e pelo branco português que diz ser o colonizador. Devido a essa miscigenação é natural que tenhamos muitas culturas, e isso torna o Brasil tão lindo e maravilhoso, com muitas crenças, muitos costumes, muitas formas de ver e viver...
“Vivemos hoje entre transformações aceleradas e plurais onde grupos sociais tradicionalmente...
tracking img