Arte holandesa no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3593 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A ARTE HOLANDESA NO BRASIL COLONIAL













Abacaxi, Melancias, e Outras Frutas, Albert Eckhout, s.d.


SÚMARIO
A arte no Brasil Colonial 3
Invasão Holandesa no Brasil Colonial 4
A Pintura Religiosa no Brasil Colonial 6
A Pintura Holandesa no Brasil Colonial 7
Notas 12
Bibliografia 13
Dados do aluno 13A arte no Brasil Colonial
As artes desenvolveram-se no Brasil colonial, marcadas pelas singularidades que caracterizaram o processo de ocupação, exploração e colonização. Passado o período de visões poéticas ou místicas que definiam a nova terra como um “paraíso terrestre”, “terra do demônio” ou “lugar de purgação”, tornou-se prioritário para os interesses da Coroa portuguesaimplantar, no território recém-descoberto, m empreendimento mercantil que assegurasse, além do povoamento a sua rentabilidade e o domínio real português. Ao contrário das colônias africanas e asiáticas, que funcionaram como entrepostos comerciais, os planos para o Brasil visavam a criação de condições para a exploração estável, baseada da agricultura e atividade mineradora.
Assim, montou-se umesquema comercial, pelo qual a colônia exportava matérias-primas para os mercados europeus e importava produtos manufaturados, equipamentos para os engenhos e escravos da África para a produção de açúcar. Os índios constituíam mão-de-obra suplementar nesse quadro, embora os colonizadores sempre desejassem escravizá-los para os trabalhos de garimpagem de ouro e diamantes.
Outros aspectos de carátersocial e humano influenciaram o processo de colonização. Para ocupar o território foram recrutados, em Portugal, jovens de famílias nobres, aventureiros de várias nacionalidades, degredados, clérigos e cristãos-novos que fugiam da Inquisição portuguesa. Todos sonhavam com a descoberta de metais preciosos, à semelhança do que ocorria nas colônias espanholas da América. Mas, ao contrário da Espanha,era pequena a população de Portugal, que no final do século XV contava com cerca de um milhão de habitantes, oriundos de etnias, culturas e religiões diferentes, o que facilitou a adaptação do colonizador português à realidade da Colônia.
No contexto do século XVI, através de uma sucessão de fatos impostos pela necessidade de explorar a Colônia, surgiram nos povoados dispersos, no litoral doNordeste, as primeiras manifestações de arte. Neles foram levantadas as primeiras casas e capelas ornamentadas com cruzes, feitas de madeiras brasileiras, juntamente com as abóbadas, as talhas e os trabalhos em barro de objetos utilitários ou de toscas imagens. Todas estão manifestações artísticas estavam muito atreladas ao ideário religioso.
No entanto, o fato mais importante no século XVII, emrelação à pintura, foi a vinda, para a Colônia, dos pintores holandeses que acompanhavam Maurício de Nassau. Esses artistas, quase todos protestantes ou judeus, puderam dedicar-se a temas profanos, o que seria impossível nessa época aos pintores portugueses. Frans Post e Albert Eckout foram os primeiros a documentar a paisagem, os costumes, tipos étnicos, a flora e a fauna tropicais. Registraram emquadros, desenhos e gravuras uma visão ao mesmo tempo laica, realista e romântica da paisagem brasileira, numa época em que predominava a pintura religiosa.
Invasão Holandesa no Brasil Colonial
No final do século XVI a Holanda [1] surgia como uma potência dos mares, chegando, em meados do século XVII, a ter a maior frota mercante do mundo.
Os holandeses mantinham intensa relação comercialcom Portugal e suas colônias, especialmente com o nordeste brasileiro, onde participavam de todo o ciclo da indústria açucareira: implantação de engenhos, financiamento de insumos e mão-de-obra até a comercialização na Europa. Chegaram a manter usinas de beneficiamento de açúcar em Amsterdã, para onde levavam o açúcar grosso que era taxado com valor bem abaixo do açúcar branco. Assim, detinham...
tracking img