Argumentacoes defeituosas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1624 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ARGUMENTAÇÕES DEFEITUOSAS

As argumentações defeituosas são raciocínios imperfeitos que podem conduzir ao erro. Eis os tipos de argumentos deituosos:

1. Argumento ad verecundiam ( apelo à autoridade )– recorre à autoridade de alguém para mostrar que uma asserção é verdadeira

Exemplo: Figo recomenda o uso de gás natural

2. Argumento ad hominem - em vez de atacar ou refutara tese de alguém, ataca-se o homem

Exemplo: a tua tese não interessa para nada! És demasiado desonesto.

3. Argumento ad terrorem – recorre à força para fazer aceitar determinada tese.

Exemplo: é preferível admitires que esta é a melhor política que a empresa pode seguir, se pretendes manter o emprego.

4. Argumento ad ignorantiam - uma proposição é tida comoverdadeira só porque não se pode provar a sua falsidade.

Exemplo: os fantasmas existem. Ninguém provou que não existem!

5. Argumento ad misericordiam – quando se apela ao sentimento de piedade ou compaixão para se conseguir que determinada proposição seja aceite.

Exemplo: Sei que tive negativas em todos os testes, mas esforcei-me tanto e estou tão cansado! Trabalhar e estudarnão é nada fácil. Tente compreender que preciso de passar de ano!

6. Argumento ad populum – apelo às multidões para que cada um se deixe guiar pela maioria.
Exemplo: devem votar no meu partido. Toda a gente já percebeu que é o melhor para o país!

7. falso dilema – consiste em reduzir as opções possíveis a apenas duas, ignorando as restantes.
Exemplo: Ou concordas comigo ounão! (pode concordar-se parcialmente)
É pegar ou largar!
Se não és meu amigo és meu inimigo.


8. Non sequitur – consiste em tirar uma conclusão que não se segue necessariamente dos dados disponíveis.

Exemplo: Ele estudou na faculdade de Coimbra. Deve ser bom juiz.

FALÁCIAS

Falácias são argumentos defeituosos oufracos, raciocínios enganosos, também chamados de “sofismas”. São formas que cometem erros formais — quando desobedecem algo em relação à lógica — ou informais — quando têm problemas com o tipo de suporte que as premissas
dão às conclusões.

FALÁCIAS = Erro de raciocínio

1) Sofisma = intencional = com intenção de enganar

2) Paralogismo = erro cometido involuntariamente


ASFALÁCIAS PODEM DIVIDIR-SE EM DOIS GRUPOS:

1) FORMAIS

inferência inválida com a aparência de válida. Comete-se quando se desrespeita uma das regras do silogismo.



1.1. Falácia do silogismo categórico = consiste no desrespeito das regras do silogismo

1.2. Falácia do silogismo condicional

O silogismo condicional designa um argumento cuja premissa maior é umaproposição condicional, dividida em condição e condicionado, ou, em antecedente e consequente.

O silogismo pode ter um modo positivo – modus ponens – e um modo negativo – modus tollens – ambos válidos. Mas, se , em vez de se afirmar o antecedente na premissa menor (modus ponens) se afirma o consequente, comete-se a:

1.2.1. falácia da afirmação do consequente.

Exemplo: Se chove(antecedente), fico em casa( consequente).

Fico em casa (afirmação do consequente)

Logo, chove


Se, em vez de se negar o consequente na premissa menor (modus tollens), se nega o antecedente, comete-se a:

1.2.2. falácia da negação do antecedente.

Exemplo: Se Chove (antecedente), fico em casa (consequente).Ora, não chove,.(negação do antecedente)

Logo, não fico em casa.

2) INFORMAIS

erros argumentativos, aparentemente correctos, cuja invalidade não resulta de uma deficiência lógica mas sim do conteúdo do argumento, da sua matéria - dependente, portanto, da linguagem natural comum.


DENTRO DESTAS PODEMOS CONSIDERAR:

2.1. FALÁCIAS...
tracking img