Argumentação: da boa teoria para a real prática.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2100 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ARGUMENTAÇÃO: DA BOA TEORIA PARA A REAL PRÁTICA.


Beatriz Borba e Guilherme Teixeira
Universidade Católica de PernambucoA publicidade é ,por vezes, conhecida como a arte de fazer as pessoas comprarem o que elas não querem, ou o que não precisam. Apesar de popular, esta definição não é dada por acaso. O publicitárioconstrói suas estratégias cuidadosamente, escolhendo cautelosamente cada elemento constituinte da campanha, da palavra a imagem, ou até mesmo um som. A escolha de todos os códigos, tem como o objetivo maior, o de convencer o consumidor. Ou seja, tudo envolvido nesse momento de criação, não são que argumentos. Sejam eles verbais, ou não, diretos, ou disfarçados. Todos os sinais explorados estãopresentes pela mesma função, a de convencer, persuadir. O discurso argumentativo não é algo estritamente ligado ao mundo da propaganda. Na realidade, é um conceito que surgiu bem antes dessa necessidade ligada ao consumo, algo que tem suas raízes no antigo mundo grego, onde filósofos divagavam e construiam suas teorias sobre a sociedade e o mundo. Dentre tais filosofias, a retórica Aristótelica é umponto fundamental na construção do conceito do discurso argumentativo. Passando pelas raízes históricas, e chegando ao conceito e prática atual. O artigo tratará do uso de argumentos na propaganda, que visam o convencimento dos consumidores, dando ênfase, em um campo subjetivo, o emocional.

Palavras-chave: Argumentação, apelos, comunicação,
Aoanalisar o princípio do discurso argumentativo, na antiguidade grega, quando filósofos pensaram em uma forma de convencer e persuadir, naquela época usados com outra finalidade. Analisando a retórica Aristotélica, e seus contrapontos com os sofitas. É possível traçar um histórico, e conhecer o sentido primário do uso do argumento e como ele foi se desdobrando até chegar ao conceito atual.Poderemos observar sua aplicação desde os primeitos tempos da publicidade, até a adaptação pela qual o discurso teve de passar para se adaptar às diferentes formas Mercado que foram se apresentando, e também às constantes mudançadas sociais e culturais dos cosumidores.
Ao fazer uso de diferentes formas de linguagem, a publicidade, baseia seus argumentos dediferentes maneiras. Apelos racionais, éticos e emocionais são adaptados em campanhas e visam a persuasão. Escolhendo o tom certo, a palavra exata, a imagem mais eficiente, a propaganda procura puxar o cliente pelas suas vontades e desejos. O problema acontece quando o publicitário exagera e acaba sendo desrespeitoso com os consumidos, abusando em determinados apelos e forçando argumentos, tudo pelavontade de vender.
A boa propaganda é aquela que saber lidar com o cliente, e chega a a convencê-lo de uma forma que não o agrida, é justamente no equilíbrio.













Em uma época ondeos cidadãos gregos eram obrigados a se defenderem uns perante os outros em assunstos relativos ao comércio e a justiça, filosófos começaram a surgir e a sugerir metódos de defesa e ataque, e assim por consequência, estratégias de argumentação.
Em primeiro lugar, vieram os Sofistas, pais do relativismo. Esse grupo, rejeitava uma verdade absoluta, onde o homem era considerado como a...
tracking img