Aquecimento global

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3001 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
COLÉGIO ESTADUAL PROFESSOR ELYSIO VIANNA
TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE

ADRIANO LISSA
LEONARDO UEHARA

















AQUECIMENTO GLOBAL

























CURITIBA
2012
ADRIANO LISSA
LEONARDO UEHARA




















AQUECIMENTO GLOBAL

Trabalho apresentado a Disciplina deInformática. Orientado: Professor Sidney Castilho





















CURITIBA
2012

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.....................................................................................................04
2 PROCESSOS CLIMÁTICOS...............................................................................06
3. MONITORAMENTO E PREPARAÇÃO PARA AS MUDANÇAS
CLIMÁTICAS EAMBIENTAIS...............................................................................08
4 CONCLUSÃO.................................................................................................................11
REFERÊNCIAS.................................................................................................................131 INTRODUÇÃO

A ocorrência do processo de mudanças climáticas, principalmente aquelas devidas ao aquecimento global induzido pela ação humana, foi pela primeira vez alertada na década de 1950. Já no final do Século XIX, o pesquisador sueco Svante Arrherius havia levantado a possibilidade de aumento de temperatura devido a emissões de dióxido de carbono. Ao longo dosanos 80, cresceu a preocupação de pesquisadores ligados a questões ambientais, com o impacto dessas mudanças sobre os ecossistemas. Na década de 90, foram desenvolvidos modelos que permitiram, de um lado, explicar a variabilidade de clima ocorrida ao longo do século, e, de outro lado, avaliar a contribuição de componentes naturais (vulcanismo, alterações da órbita da Terra, explosões solares, etc.)e antropogênicos (emissão de gases do efeito estufa, desmatamento e queimadas, destruição de ecossistemas, etc.) sobre essas variações.
O primeiro relatório global sobre as mudanças climáticas e a saúde foi publicado pela Organiza-ção Mundial da Saúde (OMS) em 1990 (WORLD HEALTH ORGANIZATION, 1990). Durante a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento(CNUMAD),foi instalada a convenção sobre mudanças climáticas, junto com as
convenções sobre diversidade biológica e a desertificação. No entanto, o tema das mudanças climáticas somente repercutiu na mídia com maior intensidade nos últimos anos, repercutindo sobre agendas de governos e pesquisa e no imaginário popular.
A divulgação do 4º relatório de avaliação do Painel Intergovernamental de MudançasClimáticas (IPCCAR4) em fevereiro de 2007; o filme “Uma verdade inconveniente”, ganhador do Oscar de melhor documentário de 2007; o tratamento midiático dado a uma série de eventos extremos do ponto de vista climático, catastróficos e social como o furacão Katrina, que destruiu Nova Orleans; a onda de calor na Europa em 2003, quando foi registrado um excesso de mais de 44 mil mortes o Catarina,que atingiu o sul do Brasil em 2004 e a seca no oeste da Amazônia em 2005, contribuíram para trazer à tona e reforçar o debate sobre as origens e os efeitos das mudanças climáticas em escala global, mesmo sem consenso para suas determinações causais. Tanto o furacão Katrina como a onda de calor na Europa evidenciaram que os impactos das mudanças climáticas não são exclusivos dos países mais pobres,mas sim global e ao mesmo tempo localizado. Esse debate tem sido marcado pelo inevitável entrelaçamento entre questões técnicas, tecnológicas, políticas e sociais. Se por um lado a visibilidade dada às mudanças globais tem permitido a retomada da agenda ambientalista em sua versão mais ampliada, a visão catastrófica e globalizante sobre essas mudanças pode gerar um sentimento de impotência ou...
tracking img