Aps unip publicidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3553 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPITAL SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
por Augusto de Franco*

Capítulo 1 – Um silêncio que explica muita coisa
“De carro ou de ônibus, você já deve ter passado por muitas cidades pobres,
consideradas pouco desenvolvidas, que ficam na beira de qualquer estrada do
País. Infelizmente, essa cidade pode até ser aquela em que você vive.
Em geral, o que você vê nessas ocasiões? Muitoscanteiros floridos? Bancos
de pedra circundados por jardins bem-cuidados? Magníficas esculturas de
artistas locais? Um portal fabuloso, onde jovens da localidade dão as boas
vindas aos visitantes e entregam flores e folhetos contando a história e
descrevendo a geografia do município e o que ele tem de bom, os produtos
que fabrica, as festas que realiza?
Não. O que você vê são peças de carroenferrujadas, pneus velhos, refugo de
material de construção, fachadas sujas, paredes faltando pedaços ou com o
reboco descascado, vidros basculantes quebrados. E, além disso, entulho e
lixo. Muito lixo amontoado.
Realmente é muito triste.
Se você entrar nessa cidade e perguntar às pessoas que vivem ali porque elas
não cuidam da fachada da sua própria cidade, elas olharão espantadas eresponderão: “Ora, porque eu não tenho nada a ver com isso”. Ou então dirão:
“A culpa é dos políticos, que não fazem nada”.
Se você retrucar – “Mas já que os políticos não fazem nada, por quê vocês
mesmos não tomam a iniciativa? Será que vocês não podem juntar aí umas
vinte ou trinta pessoas e, num domingo de manhã qualquer, promover um
mutirão para remover o lixo, caiar as fachadas das casas,consertar as
paredes, substituir os vidros quebrados?” – provavelmente ouvirá o silêncio
como resposta. Preste bastante atenção nesse silêncio. Ele explica muita
coisa.

Capítulo 2 – O silêncio que explica porque uma localidade é considerada
pouco desenvolvida
Bom, mas aí você entra na cidade e procura as lideranças locais: o prefeito, os
vereadores, os líderes comunitários, os presidentes dossindicatos rural e dos
trabalhadores, os donos da padaria e da farmácia, o padre e o pastor, o juiz de
direito, o gerente do banco. Você procura essas pessoas para conversar com
elas sobre o desenvolvimento daquela localidade.
Digamos que você consiga fazer uma reunião com algumas dessas pessoas. E
que, durante a reunião, você pergunte se ali naquela cidade existem
analfabetos jovens, queabandonaram a escola sem chegar a aprender a ler e
escrever. Você pergunta quantos são esses analfabetos e se é possível saber
quem são eles. Provavelmente haverá uma pequena discussão. Ninguém
saberá o número exato.
Depois de rápida troca de opiniões, sairá a resposta. “Bom. Aqui devem ter
mais ou menos uns trezentos analfabetos jovens”.
Você continua: “E vocês sabem quem são esses jovens, ondeeles moram?”
Eles responderão que sim, e podem até começar a citar nomes: “É o filho da
Toinha, que ajuda o pai na roça; e tem também os três filhos do Esmênia, que
enviuvou no ano passado...”. E a lista vai prosseguindo à medida que os
presentes vão lembrando de outras pessoas.
Aí você interrompe e pergunta: “Mas por quê vocês deixaram a situação chegar
a esse ponto?”
A primeira reação dopessoal da cidade será defensiva. Eles apresentarão uma
justificativa mais ou menos assim (e não importa se você está no estado do
Pará, na Bahia ou no Vale do Ribeira, em São Paulo): “O governo (estadual ou
federal) não ajuda. Nós somos fracos. Sozinhos, não damos conta. Além disso,
tem tanto problema pra resolver... A prefeitura não tem um tostão furado. Não
consegue nem pagar os saláriosdos funcionários. E o povo não quer nada.
Não é unido. Cada um só pensa nos seus negócios, na sua vida”.
Então você pergunta: “Mas vem cá, pessoal. Será que nessa cidade, que tem
quase vinte mil habitantes (vamos imaginar que seja assim), será que não tem
aqui uma professora aposentada, um gerente de banco com tempo sobrando,
um aluno mais adiantado cujas noites estão livres ou qualquer...
tracking img