Apostilha melhoramento animal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 91 (22715 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
RAÇAS E CRUZAMENTOS NA
PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE

Daniel Perotto1
SUMÁRIO
1

Engenheiro Agrônomo, M.Sc. e Ph.D.
IAPAR, Caixa Postal 2031, CEP 80011-970, Curitiba-PR
Telefone (041) 865-6336
Endereço Eletrônico: dperotto@pr.gov.br

A

1. BASES GENÉTICAS DO MELHORAMENTO
Introdução
As bases científicas do melhoramento animal
A célula e o material genético
Ações gênicasCaracteres qualitativos
Caracteres quantitativos
Melhoramento de caracteres quantitativos
O valor genético
Conceitos básicos em genética quantitativa
A curva normal
A média
A variância
O desvio padrão
Decomposição da variância fenotípica
Herdabilidade
Correlação genética
2. ESTIMAÇÃO DO VALOR GENÉTICO
Introdução
Fontes de informação sobre o valor genético
O fenótipo do animal
As progêniesOs ancestrais
Parentes colaterais ou irmãos
3. MÉTODOS DE MELHORAMENTO
Introdução
Mudança das freqüências gênicas
Seleção
Diferencial de seleção
Modalidades de Seleção
Seleção genealógica
Seleção com base em informações de parentes colaterais
Seleção pelo teste de progênie
Características correlacionadas

B

Seleção indireta
Seleção simultânea para várias características
Métodocontínuo
Método dos níveis de eliminação independentes
Índice de seleção
4. MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS DE CORTE
Introdução
Aspectos inerentes ao melhoramento de bovinos de corte
Seleção de bovinos de corte
Interpretação e uso das informações contidas nos sumários das raças
Cruzamentos na bovinocultura de corte
Complementaridade
Heterose
Esquemas sistemáticos de cruzamentos
Uso detouros mestiços
Formação de raças sintéticas ou compostas
5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

C

1. BASES GENÉTICAS DO MELHORAMENTO
Introdução
Os primeiros documentos relativos ao melhoramento genético de bovinos referem-se aos
trabalhos de Robert Bakewell, entre 1760 e 1795, na Inglaterra. Em seguida vieram os trabalhos
dos irmãos Colling, que aplicaram os princípios de Bakewell naformação da Raça Shorthorn, cujo
livro de registro genealógico foi estabelecido em 1822.
Durante o resto do século XIX, várias novas raças e respectivos livros genealógicos foram
formadas. Esse período de formação de raças durou pelo menos 150 anos. As características ideais
de cada raça eram definidas e os criadores norteavam a reprodução de seus rebanhos visando
imprimir tais características em seusanimais. Os padrões de cada raça eram definidos basicamente
em termos de coloração da pelagem ou tipo fenotípico, sem muita ênfase em características
produtivas. Isto era feito porque se acreditava que os padrões ideais de cor e conformação adotados
pelos criadores se correlacionavam geneticamente com padrões superiores para caracteres
produtivos.
As bases científicas do melhoramento animalO melhoramento genético animal baseado em princípios científicos começou a se tornar
realidade através de dois importantes fatos ocorridos por volta da virada do século XX. O primeiro
foi a formação da associação para teste de vacas leiteiras, na Dinamarca, em 1895. Associações
semelhantes se difundiram rapidamente pela Europa e Estados Unidos da América, onde a primeira
associação começou afuncionar em 1906, em Michigan. O segundo e mais importante
acontecimento foi a redescoberta dos trabalhos de Mendel em 1900.
As pesquisas de Mendel se tornaram a base científica da moderna genética. Entretanto, o
crescimento e a expansão desse conhecimento básico não ocorreu imediatamente. Várias décadas
foram desperdiçadas pelos melhoristas tentando explicar a hereditariedade de todos oscaracteres
em termos das leis de Mendel. Foi somente em meados dos anos 30 que a evolução metodológica
permitiu aos criadores aplicar o melhoramento genético em características como produção de leite
e ganho de peso. Nessa época ocorreu a compatibilização entre genética e biometria, dando origem
à aplicação de métodos científicos de melhoramento animal.
Os homens que deram as maiores...
tracking img