Apostila texto narrativo e descritivo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7190 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de julho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
GÊNERO NARRATIVO – O CONTO

A narração é um processo de composição de texto cujo conteúdo está vinculado, em geral, a uma sequência de ações, envolvendo narrador e personagens no tempo e no espaço. Os produtos desse processo chamam-se narrativas.
Contos, novelas, romances, certas crônicas são exemplos de narrativas. Além desses gêneros, notícias de jornal, histórias em quadrinhos,piadas, letras de música e poemas também constituem narrativas quando trazem uma história e apresentam uma sucessão de fatos.
A narrativa não se presta apenas a contar uma história, mas também expressa um ponto de vista, determinadas ideias e valores, mesmo quando se trata de textos de cunho informativo ou jornalístico. Leia uma pequena narrativa em forma de poema.

Anedota búlgara

Era umavez um czar naturalista
que caçava homens.
Quando lhe disseram que também se caçavam borboletas e andorinhas,
ficou muito espantado
e achou uma barbaridade.
ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.
Você notou que esse poema não só narra uma história, como também expressa determinadas ideias e valores: a desumanidade do czar.
As piadas, ashistórias em quadrinhos também trazem, direta ou indiretamente, valores e temas morais, sociais, religiosos, econômicos. Nos quadrinhos ao lado, por exemplo, é perceptível o tema da violência urbana, que tanto preocupa os moradores das grandes cidades brasileiras.

Porque gostamos de uma boa história?

Uma boa história desperta interesse, apresenta uma dinâmica que permite ao leitorpartilhar emoções e experiências vivenciadas pelos personagens. O que a torna interessante é o elemento gerador da dinâmica narrativa, o chamado conflito.
Umberto Eco, escritor italiano, faz a seguinte reflexão acerca do ato de narrar:

Entendo que para contar é necessário primeiramente construir um mundo, o mais mobiliado possível, até os últimos pormenores. Constrói-se um rio, duasmargens, e na margem esquerda coloca-se um pescador, e esse pescador possui um temperamento agressivo e uma folha penal pouco limpa, pronto: pode-se começar a escrever, traduzindo em palavras o que não pode deixar de acontecer.
Pós-escrito ao livro O nome da rosa, de Umberto Eco. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1983. V.

Esses aspectos citados pelo escritor constituem os elementos essenciais deuma narrativa: espaço (rio e suas margens), personagem (pescador), tempo (passado e presente do personagem), narrador e enredo (o que não pode deixar de acontecer).
O enredo desdobra-se em estágios, dos quais o mais importante é o conflito, pois desencadeia uma série de ações e providências que transformam a realidade criada. O conflito rompe a harmonia e põe a história em andamento.Leitura e Atividades
Tragédia brasileira

Misael, funcionário da Fazenda, com 63 anos de idade.
Conheceu Maria Elvira na Lapa - prostituída, com sífilis, dermite nos dedos, uma aliança empenhada e os dentes em petição de miséria.

Misael tirou Maria Elvira da vida, instalou-a num sobrado no Estácio, pagou médico, dentista, manicura... Dava tudo quanto ela queria.
Quando MariaElvira se apanhou de boca nova, arranjou logo um namorado.
Misael não queria escândalo. Podia dar uma surra, um tiro, uma facada. Não fez nada disso: mudou de casa.
Viveram três anos assim.
Toda vez que Maria Elvira arranjava namorado, Misael mudava de casa.
Os amantes moraram no Estácio, Rocha, Catete, Rua General Pedra, Olaria, Ramos, Bom Sucesso, Vila Isabel, Rua Marquês deSapucaí, Niterói, Encantado, Rua Clapp, outra vez no Estácio, Todos os Santos, Catumbi, Lavradio, Boca do Mato, Inválidos...
Por fim na Rua da Constituição, onde Misael, privado de sentidos e de inteligência, matou-a com seis tiros, e a polícia foi encontrá-la caída em decúbito dorsal, vestida de organdi azul.
BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976....
tracking img