Apostila portugues

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 129 (32121 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
www.materialconcursos.com.br

Apostila de Língua Portuguesa
(Com a Nova Ortografia)

-2-

1. Compreensão e Interpretação de Textos
COESÃO E COERÊNCIA
A coesão é a ligação entre os elementos de um texto , que ocorre no interior das frases , entre as próprias frases e entre os vários parágrafos. Pode-se dizer que um texto é coeso quando os conectivos são empregados corretamente. Já acoerência diz respeito à ordenação de idéias, dos argumentos. A coerência depende obviamente da coesão. um texto com problemas de coesão terá , com certeza , problemas de coerência. Veja alguns casos :1)- Uso inadequado do conectivo :- preposição , conjunção e pronome relativo 2)- Falta de sequência lógica 3)- Redundância :- é a repetição desnecessária de palavras, expressões ou idéias. Geralmente ostextos redundantes são confusos e mais extensos do que o necessário. 4)- Ambiguidade :- é uma falha na estrutura frasal, que terá que ser desfeita, caso ocorra, na produção de um texto. Veja estas duas frases , retiradas de um vestibular da Fuvest - SP , em que o aluno era solicitado a desfazer a ambigüidade: “Ele me trata como irmão”. Essa frase pode ser compreendida de duas maneiras: a)- Ele metrata como se eu fosse irmão dele. b)- Ele me trata como um irmão me trataria. Outro caso :- “O menino viu o incêndio do prédio”. Pode-se inferir daí que o menino viu um prédio que se incendiava ou o menino estava num prédio quando o incêndio que acontecia em outro local.

Discurso Dissertativo de Caráter Científico
Observe :a)- A inflação corrói o salário do operário. b)- Eu afirmo que ainflação corrói o salário do operário. Os dois enunciados acima pretendem transmitir o mesmo conteúdo : a inflação corrói o salário do operário. Há , no entanto , uma diferença entre eles. No primeiro , o enunciador ( aquele que produz o enunciado ) ausentou-se do enunciado , não colocando nele nem o “eu” , que indica aquele que fala , nem um verbo que significa o ato de dizer. No segundo, ao contrário ,ao dizer “eu afirmo” , o enunciador inseriu-se no enunciado , explicitando quem é o responsável por sua produção. No primeiro caso , pretende-se criar um efeito de sentido de objetividade , pois se enfatizam as informações a serem transmitidas; no segundo ,o que se quer é criar um efeito de sentido de subjetividade , mostrando que a informação veiculada é o ponto de vista de um indivíduo sobre arealidade. O discurso dissertativo de caráter científico deve ser elaborado de maneira a criar um efeito de objetividade , pois pretende dar destaque ao conteúdo das informações feitas ( ao enunciado ) e

-3-

não à subjetividade de quem as proferiu ( ao enunciador ). Quer concentrar o debate nesse foco e por isso adota expedientes que , de um lado , procuram neutralizar a presença doenunciador nos enunciados e, de outro , põem em destaque os enunciados, como se substituíssem por si mesmos. Para neutralizar a presença do enunciador, isto é , daquele que produz o enunciado , usam-se certos procedimentos lingüísticos , que passaremos a expor:a)- Evitam-se os verbos de dizer na primeira pessoa ( digo , acho ,afirmo , penso, etc. ) e com isso procura-se eliminar a idéia de que o conteúdode verdade contido no enunciado seja mera opinião de quem o proferiu Não se diz , portanto: Eu afirmo que os modelos científicos devem ser julgados pela sua utilidade. Mas simplesmente : Os modelos científicos devem ser julgados pela sua utilidade. b)- Quando , eventualmente , se utilizam verbos de dizer , são verbos que indicam certeza e cujo sujeito se dilui sob a forma de um elemento designificação ampla e impessoal , indicando que o enunciado é produto de um saber coletivo, que se denomina ciência. Assim , o enunciador vem generalizado por “nós” em vez de “eu” ou oculto :Temos bases para afirmar que a agricultura constitui uma alternativa promissora para a nossa economia. ou , Pode-se garantir que a agricultura . . . ou ainda , Constata-se que a agricultura . . . Em geral , não...
tracking img