Apostila manejo de fauna

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3746 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FUNDAÇÃO HERMANN WEEGE

ZOOLÓGICO POMERODE



























MANEJO DE FAUNA SILVESTRE E EXÓTICA

EM CATIVEIRO























POMERODE

AGOSTO 2005
1. CONCEPÇÃO SOBRE OS ANIMAIS AO LONGO DO TEMPO.


 Acredita-se que a atenção filosófica tenha se voltado para os animais ainda no século VI na Gréciaantiga. Pitágoras acreditava que pessoas e animais tivessem almas do mesmo tipo e se opunha ao sacrifício animal e preconizava uma dieta vegetariana, porque defendiam a idéia da reencarnação, isto é, acreditava que a alma ou o espírito era capaz de renascer eternamente após a morte em diferentes corpos, incluindo a possibilidade de virem em corpos de animais.
A crise na relação animal /homem teve início efetivamente quando Aristóteles afirmou que as plantas foram criadas porque eram necessárias para os animais e estes porque o ser humano necessitava deles. Aristóteles acreditava também que, se apenas os homens são seres racionais, então isso é o que nos distingue dos animais. Essa argumentação baseava-se na idéia de que, assim como é natural para a alma domesticar o corpo, énatural para o homem domesticar os animais, e os domesticados terão uma natureza melhor.
A Igreja cristã, no entanto, explorou a visão de Aristóteles, negando a razão aos animais e deixando-os fora da sua comunidade moral. Com o cristianismo as atitudes generalizadas de domínio e maus tratos com os animais encontram respaldo na crença bíblica de que Deus outorgou ao homem o domínio sobre todas ascriaturas viventes.
Uma outra corrente do pensamento católico medieval, conhecida como "franciscana", devido ao exemplo de São Francisco de Assis, era bem mais favorável aos animais. Mas, a Igreja não via a crueldade para com o animal como algo repreensível se houvesse um nobre propósito. O sofrimento dos animais durante os procedimentos experimentais não eram portanto, vistos comocrueldade.
A rejeição dos animais do universo moral, para além de qualquer abordagem que existia na Grécia Antiga ocorrerá com Descartes, porque a partir dele difundiu-se a prática da vivisseção, que é o ato de realizar experimentos em animais vivos.Descartes divulga a idéia de que os animais são verdadeiras máquinas. Assim além de negar a racionalidade dos animais, ele também nega que eles tenhamemoções. Atribui dessa forma aos animais o conceito de autômatos, isto é, seus corpos obedeciam às leis da mecânica. Descartes descreveu o organismo animal como os relógios, capazes de comportamento complexo, mas incapazes de falar, raciocinar e até mesmo ter sensações. Segundo ele, o corpo humano também era um autômato, mas diferenciava-se dos animais pela presença da mente, e portanto,possuidor de uma alma separada. Assim só o homem teria simultaneamente matéria e intelecto.
A teoria da evolução das espécies, concebida por Charles Darwin, foi capaz de abalar a concepção que o homem tinha de si mesmo e de seu lugar especial na natureza. Segundo alguns pensadores, a perigosa idéia de Darwin era perigosa, pois ele afirmava que todos o que existe são como frutos de uma únicaárvore, a árvore da vida.


















































2. MANEJO DE FAUNA


Considera-se manejo todo tipo de intervenção humana que ocorre de forma ocasional ou sistemática, em cativeiro ou na natureza, visando manter, recuperar ou controlar populações silvestres, domésticas, domesticáveis ou asselvajadas para garantira estabilidade dos ecossistemas, dos processos ecológicos ou dos sistemas produtivos.
O manejo de fauna em cativeiro consiste na ação planejada, programada, sistematizada e monitorada visando a criação de animais silvestres ou exóticos. Este manejo também pode conciliar a reprodução de espécimes na natureza e sua recria em sistemas controlados. Entende-se por criação o ato de, em...
tracking img