Apostila linguagem e comunicação juridica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 101 (25093 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de maio de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE UNICALDAS

CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR PRA VOCÊ!

LINGUAGEM
E COMUNICAÇÃO JURÍDICA

CALDAS NOVAS - GO
2013
LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO JURÍDICA

Professora. Eva Maria Barros
e-mail: evabarros01@hotmail.com

ACADÊMICOS DO CURSO DE DIREITO

Agradecimentos

A Deus

Ao Senhor que concedeu o dom da vida, presenteou com a liberdade, abençoou com a inteligência, que fosteorientação, inspiração e força.
Com grandiosidade, faz substituir aos poucos incertezas pela segurança, o medo pela vitória, podendo assim, compreender ainda mais a existência de um Deus grande e maravilhoso, capaz de fazer superar os limites e buscar cada vez mais a perfeição.

Deus quem ajuda a seguir em frente, e que sempre estará ao lado de cada filho. Dessa forma, cabe somente agradecer pelacapacitação e com condições para seguir em todas as jornadas.

Portanto, por tudo que fizeste e por tudo que continuará fazendo; é de todo o coração a mais sincera gratidão.

“Tudo é possível ao que crê”

OBJETIVO:

* “Ler, escrever, interpretar, argumentar com clareza, lógica e convencimento, utilizando-se os recursos da linguagem da ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA”.
* “Despertar para aimportância da estrutura lógico da língua subjacente ao grau de convencimento operacionalizado no Direito”.
* “Compreender que a pratica jurídica é instrumentalizada pelo uso da palavra, verbal e escrita, para intentar com coerência e plausibilidade a defesa das teses”.
* “Conhecer e utilizar o vocabulário técnico-jurídico e o raciocínio lógico.”
* “Agregar ao discurso jurídico o espíritocrítico”.

PROGRAMA:

1 – COMUNICAÇÃO/PORTUGUÊS/HISTÓRIA
2 – LINGUAGEM /DISCURSO
3 – RETÓRICA/ORATÓRIA/HISTÓRIA
4 – ARGUMENTAÇÃO
5 – A ARTE DA PERSUASÃO
6 – COERÊNCIA E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA
7 – O ADVOGADO
8 – A FUNAÇÃO DA NARRATIVA NO DISCURSO JURÍDICO
9 – CONFLITOS CLÁSICOS DA LITERATURA À LUZ DO DIREITO
10 –ELABORAÇÃO DE PEÇAS
11- LINGUAGEM/ ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA/DICURSO JURÍDICO ESTRATÉGIA
12 – RACIOCÍNIO JURÍDICO
13 – DICIONÁRIO JURÍDICO
14 – HERMENÊUTICA JURÍDICA/HISTÓRIA

PORTUGUÊS

MORFOLOGIA

1. Estrutura e Formação das Palavras

As palavras são constituídas por elementos mórficos ou morfemas (unidades significativas mínimas), são eles:

- Radical;
- Afixos;
- Vogal Temática;- Desinências;
- Letras de ligação ou Infixos

Radical – é o principal elemento mórfico; é nele que está o sentido básico da palavra, em torno do qual se juntam os outros elementos de formação.

O radical é obtido através da eliminação dos elementos secundários.

Quando várias palavras são formadas a partir de um radical comum dizemos que são cognatas, ou seja, pertencem ao mesmo campolexical. Exemplo: pedra - pedreira - pedregulho – pedreiro.

Afixos – são elementos que se ligam antes ou depois do radical, estes recebem o nome de sufixos e aqueles de prefixos. Exemplo de prefixos: prever- desfolhar – releitura; sufixos: lealdade, conformidade, alegremente.

Vogal Temática – é o elemento que se junta ao radical antes das desinências. Podem ser nominais ou verbais.

Nominais– referem-se a um substantivo ou adjetivo, são sempre átonas e nunca indicam gênero. Exemplo: livro, mesa, triste, artista, perda, escola, amparo, resumo, destaque, busca.
Nomes terminados em vogais tônicas como: sofá, caqui, mandacaru, cipó, café, não apresentam vogal temática; podemos considerar que os terminados em consoante como feliz, roedor, rapaz, cor têm o mesmo comportamento.

Verbais –são as vogais responsáveis pelas três conjugações verbais. Exemplo: cantar, escrever, partir.

Desinências – são os morfemas que indicam as flexões de nomes e verbos. Sendo assim, temos as desinências nominais e as verbais.
As primeiras indicam o gênero e o número dos nomes, normalmente são. o e a, no caso do gênero e o s no caso do número. Exemplos: garota/garoto - garotas/garotos.

No...
tracking img