Apostila de microbiologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 38 (9339 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Capítulo1. Introdução e importância da Microbiologia

Em todas as questões humanas há um único fator dominante – o tempo. Para avançar ao futuro devemos olhar para trás, no passado. (ZIMAN, 1976).

Nossas experiências com microrganismos. (quais microrganimos já tivemos infecções ou presenciamos em outro humano ou em nossos animais)

Conceito de Microbiologia: estudo dos organismosmicroscópicos, da vida microscópica. O microrganismo é o objeto de estudo (morfologia, reprodução (genética), fisiologia, taxonomia e suas interações com o homem, animais, planta, e outros microrganismos.

Por que estudar microbiologia?

- Saúde dos humanos e animais. Menos de 1% dos microrganismos causam doenças.
- Fotossíntese microbiana.
- Decomposição de matéria orgânica, e resíduosindustriais.
- Microbiota autóctone. (1.1010 células humanas para 1.1011 microrganismos).
- Produção de alimentos (capacidade bioquímica dos microrganismos).
- Medicamentos (antibióticos).
- Controle biológico.
- Produção de vacinas
- Engenharia genética (interferon, hormônio do crescimento).
- Importância da microbiologia em outras áreas
(Genética,Bioquímica, Ecologia, engenharia metalúrgica etc).
- Importância na medicina veterinária. (Todas as disciplinas).
- Microrganismos como modelos de estudos. (Rapidez, confiabilidade).
- Biologia molecular, genoma humano.


Principais grupos de microrganismos.
(vírus, bactérias, algas, fungos, protozoários). –20 nm a 5mm.


Histórico da microbiologiaBíblia- Deuteronômio, 13. Moises – lixo sólido enterrado.
Passagens relam sobre a lepra e o isolamento dos doentes.
400 a.C. - Grécia- Médico Hipócrates- (transmissão por roupas e objetos).
Historiador Tucídides- pessoas curadas podiam tratar de doentes com peste.
Peste bubônica – 542 d.C., Mediterrâneo e todo Europa. Guetos judeus – menor incidência.
1665- Robert Hooke – microscópio
Antonvan Leewenhoek- visualizou os “animalículos”
Meu Deus, que maravilhas existem em uma criatura tão pequena! (Leeuwenhoek).



Conquistas no conhecimento das doenças

A idéia da geração espontânea precisou ser refugada.
“Talvez em alguns locais, vivam pequenos animais que não podem ser vistos a olho nu e que podem entrar pela boca e fossas nasais provocando grande desastres”. MarcosVarrão, cidadão romano e escritor, 100 a.C.
“podem existir sementes de moléstias” Lucrécio, 55 a.c.

• Originam de células mães x causas sobrenaturais ou processos putrefativos
(Tyndall - filtros de panos que impediam a passagem de moscas).
• Microrganismos são causa e não conseqüência da fermentação.
• Diversidade Bioquímica e unidade com processos dos seresmacroscópicos.
(Pasteur- frascos em boca de cisne para suco de uva- produção de vinho).




Teoria microbiana da doença- teoria germinal

Doença – falta ou perturbação da saúde. Pode ter o microrganismo como agente primário, secundário, agente oportunista (da microbiota normal).


Pasteur, por volta de 1860, estudando uma doença em bicho da seda, provou que um protozoário causava a doença esugeriu a seleção de larvas resistentes.
Em 1840, Jacob Henle apresentou a teoria microbiana de doença.

Robet Koch (1876)
Estudou o sangue de cordeiros mortos com carbúnculo-visualizou bactérias (bastonetes).

Separou a bactéria de outros microrganismo, inoculou em camundongos.
Camundongos desenvolveram o carbúnculo.
Bactérias visualizadas, provenientes dos camundongos eram semelhantesàs inoculadas.

1880- Postulados de Koch

1. Microrganismos suspeitos devem sempre ser encontrados associados à doença.
2. Deve ser isolado em cultura ou cultivo puros.
3. Quando inoculado em cobaias susceptíveis, originam a mesma doença.
4. O mesmo microrganismo deve ser recuperado dos animais que adoeceram.

*Há doenças causadas por mais de um microrganismo (diarréias, mastite,...
tracking img