Apostila de aulas praticas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2357 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
[pic]



Prof. Breno Régis Santos
Prof. Marcelo Polo

NORMAS PARA A UTILIZAÇÃO DO LABORÁTORIO

É obrigatório o uso do jaleco.

Os cabelos devem ser mantidos presos.

É proibido o uso de saia, bermuda ou similares no laboratório.

Usar apenas sapatos fechados durante os procedimentos no laboratório.

É proibido comer e beber dentro do laboratório.

É proibido pipetar coma boca, bem como colocar qualquer material de procedimento na boca.


FORMULÁRIO

Transpiração:

T = [pic]onde:

Umidade relativa do ar:

UR (%) = [pic]x 100

onde: UR = umidade relativa (%)
UA = umidade absoluta (g/m3)
US = umidade de saturação (g/m3)*

*US varia com temperatura e a pressão atmosférica (altitude)

Resistência à transpiração:

R = [pic]onde: R = resistência
US = umidade de saturação
UA = umidade absoluta
T = transpiração











PRÁTICA 1: DETERMINAÇÃO DO POTENCIAL HÍDRICO EM TUBÉRCULO DE BATATA (MÉTODO GRAVIMÉTRICO)

A) Introdução:
Pela Lei de Van't Hoff temos:

ψtotal = m . i . R . T
onde:
m = molalidade da solução
i = coeficiente de ionização
R = constante dos gasesperfeitos
T = temperatura absoluta (K)

O potencial hídrico total de uma célula ou tecido pode ser dado como sendo:

ψtotal = ψos + ψp

Uma solução de pressão osmótica conhecida, dentro de um recipiente, tem seu ψtotal = ψos porque não existe aí o componente ψp. Assim, qualquer tecido ou órgão colocado nesta solução ficará sujeito à pressão ou tensão, dependendo do seu ψtotal. Teremos, nofinal, um situação de equilíbrio, na qual o ψtotal da solução será igual ao ψtotal do tecido ou órgão. Para que haja este equilíbrio, é necessário que o tecido ou órgão perca ou ganhe água, por imposição do ψtotal (ψos) da solução.
Para realizar o experimento teremos que preprara soluções de ψos conhecido, o que é feito pela Lei de Van't Hoff. Usando sacarose (PM = 342) preparamos soluções com ψosvariando de 1 a 12.

ψos = m . 1 . 0,082 . 300

Variando o ψtotal, encontramos a molalidade de cada solução e calculamos a seguir a quantidade de sacarose por 1000 ml de água que deve ser diluída a fim de se obter a molalidade desejada.

Construímos então a tabela:

|ψos da solução |Molalidade da solução |Sacarose por 1000 ml de água |
|1|0,040 |13,68 |
|2 |0,081 |27,70 |
|3 |0,122 |41,72 |
|4 |0,163 |55,75 |
|5 |0,203|69,43 |
|6 |0,244 |83,45 |
|7 |0,284 |97,13 |
|8 |0,325 |111,15 |
|9 |0,366|125,17 |
|10 |0,406 |138,85 |
|11 |0,447 |152,85 |
|12 |0,488 |166,90 |

B) Montagem:
Cada grupo deverá retirar cilindros de um tubérculo debatata com o auxílio de um perfurador de rolha. Cortar estes cilindros em pedaços (12) com aproximadamente 3cm. Estes serão pesados imediatamente, individualmente, e anotados seus pesos à medida que são colocados cada um em um frasco de solução de sacarose com ψos conhecido. Após uma hora, retirar os cilindros da solução, enxugá-los em papel absorvente e pesá-los novamente.

Construir uma tabela...
tracking img