Antropofagia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1288 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RELATÓRIOS SOBRE ANTROPOFAGIA

Antropofagia: Rito, Metáfora e Pau-Brasil

O grito de guerra, a ideia da Antropofagia, começou inspirado no quadro de Tarsila do Amaral, Abaporu, de 1928, que, aliás, teria detonado a ideia do Manifesto antropófago e que a artista reproduziu em bico de pena para ilustrar o primeiro número da Revista de Antropofagia.
Oswald é o que funda, cunha, teoriza econsagra na literatura modernista o tema e o tratamento da Antropofagia, e ele vai buscar na prática antropofágica da sociedade indígena a fonte que iria alimentar seu apetite antropófago. Justificando a ida a esse rito sacrificial para traduzi-lo em atitude estético-cultural.
A antropofagia é o ato ou hábito de comer carne humana, a carne da pessoa é consumida para incorporar a pessoa e adquirir suasabedoria e sua cultura. Tem que haver um cuidado para não cair na interpretação ligeira da senha antropofágica adotada por Oswald como sinônimo de festival canibalista no qual se matava e comia o inimigo por gula ou vingança, seria assim somente o ato de destruição, mas na verdade em antropofagia se destrói para construir em cima deglutir para posse instrumental do inimigo, poder combate-lo esuperá-lo. Deglutir o velho e transformar em matéria prima para o novo.
O que Oswald quis recusar, incorporar e questionar ao mesmo tempo a cultura, os modelos e repertórios literários dominantes, revisando e assimilando criticamente à realidade cultural brasileira.
O primitivismo que Oswald se valeu para deflagrar a Revolução Caraíba no Manifesto antropófago se inspira no Montaigne dos Essais, ondeo humanista francês traça um retrato da sociedade selvagem como uma organização ideal, que teria alcançado um estágio de igualdade social e de felicidade muito superior ao das sociedades adiantadas. Onde mesmo a antropofagia seria um ato bem menos bárbaro que o dos europeus que, diz o pensador, embora não comendo os mortos, torturam, perseguem e destroem os vivos sob pretextos civilizados(piedade, religião, moral).
O canibalismo de Oswald de Andrade teria ainda, segundo alguns autores, nítido compromisso especialmente com a tendência mais destrutiva das vanguardas europeias, a Dadá. É consenso nesses autores ver precedentes do Manifesto antropófago e da Revista de Antropofagia no Manifeste cannibale dada e na revista Cannibale de Francisc Picabia, ambos de 1920.
O que Oswald quis comsua Antropofagia foi a formação de uma arte nacional, que se há de extrair, sem dúvida, da obra dos ‘antepassados’, mas que contemplasse as conquistas do século XX, como o triunfo do telefone, do avião, do automóvel. Há, aliás, toda uma correspondência viva e direta entre as artes de hoje e o nosso tempo tão diverso dos tempos idos.

Na boca do estômago

Zé Celso é uma das figuras maisimportantes ligadas ao teatro brasileiro. Ele se destacou como um dos principais diretores, atores, dramaturgos e encenadores do Brasil. Ele mostra ter plena consciência e convicção dos pressupostos teóricos que tem demonstrado em sua obra.
A assinatura de Zé Celso está ligada à carnavalização, à inversão de valores, à exposição dos elementos escamoteados nas relações sociais e ao questionamento dalegitimidade das instituições. E o modo como ele seleciona os textos a serem montados e concebe a criação cênica parece nunca perder de vista a antropofagia de Oswald de Andrade. Ele conheceu os textos teóricos de Oswald em 1967, quando resolveu montar O Rei da Vela com o grupo do Teatro Oficina. O impacto dessa leitura foi tão forte que modificou sua compreensão de certos textos clássicos, como AsBacantes, de Eurípides e fez com que tomasse a Antropofagia como ponto de referência para pensar a construção de uma identidade brasileira.
Oswald de Andrade mudou o eixo da compreensão da cultura brasileira para o momento em que o primeiro bispo português, o bispo Sardinha, foi comido pelos índios caetés. Em 1500 o Brasil foi descoberto por Pedro Álvares Cabral, que vestiu os índios e tal, até o...
tracking img