Antropo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2461 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
URBANIZAÇÃO: NATUREZA, CONDICIONANTES E COMPONENTES FUNDAMENTAIS






















URBANIZAÇÃO: NATUREZA, CONDICIONANTES E COMPONENTES FUNDAMENTAIS









Trabalho do 20 bimestre da disciplina de Antropologia Cultural e Sociologia Urbana do Curso de ArquiteturaUrbanismo da Universidade Paranaense - UNIPAR, sob a orientação da Prof. Caroline Salgueiro.




UMUARAMA
2012
Sumário
1. Introdução 4
2. Revolução e Cidade 5
3. Urbanizaçao E Classes Sociais 6
4. Migrações Internas: Considerações Teóricas sobre o seu estudo 8
4.1 O Caráter Histórico dasMigrações 8
4.2 Industrialização e Migração 8
4.3 Capitalismo, Desenvolvimento Regional e Migrações Internas 9
4.4 As Migrações In ternas Face ao Mercado de trabalho 9
4.5 Migrações e Industrialização nos Países Não-Desenvolvidos 9
5. A aceleração do crescimento urbano nas cidades subdesenvolvidas do sistema capitalista. 10
6. Conclusão 12
Referências 13

1. Introdução


A RevoluçãoIndustrial foi um processo essencial para a evolução da urbanização, proporcionando mudanças em toda a economia primeiramente nos países desenvolvidos e sucessivamente aos subdesenvolvidos, dentre as mudanças se destaca primordialmente a divisão social trabalhista, pois se sabe que a revolução industrial favoreceu o capitalismo, sistema econômico posterior ao sistema social feudal. A migração dospovos da área rural aos centros urbanos favoreceu ainda mais a urbanização, todos esses fatores serão refletidos futuramente na economia mundial e no ambiente urbano.






















2. Revolução e Cidade


Em meados do século XVIII a Revolução Industrial mudou todo o sistema econômico e social das cidades primeiramente na Europa continente que emergiu esse processo edepois o resto do mundo com, por exemplo, as Américas. Essa revolução foi fundamental para a humanidade ela proporcionou o aumento da população considerando que a mortalidade diminui e a taxa de natalidade se regulamentou por causa das considerações favoráveis de vida comparada como sistema social anterior, o feudalismo.
Com essa melhoria surge à aquisição de bens e consecutivamente a produçãonão supre a demanda, provocando a contribuição do campo essencial para a produção acelerada das indústrias, a experiência do artesão não tem mais tanta importância como antes, o que resta ser feito é se adaptar e se unir ás indústrias, esse agente chamado de indústria explora as pessoas menos favorecidas da sociedade com o excesso de serviço e salários absurdamente baixos, promovendo a divisão declasses entre burgueses donos dos meios de produção e o proletariado assalariado que vende sua mão de obra em troca de um misero salário, é lamentável saber que desde os primórdios das sociedades desde a egípcia até a atual não houve uma distribuição correta entre as classes, pois sempre há aquele que manda e o que recebe ordens.
O camponês que antes trabalhava no campo agora se encontra na cidadeexercendo suas tarefas como um trabalhador assalariado, estabelecendo-se nas cidades, ocorrendo um alto crescimento demográfico, como todos nós sabemos se não sabemos se não houver uma boa distribuição urbana a conseqüência será a formação de favelas, ou seja, o crescimento é muito acelerado e a área terrena não supre tantas pessoas à única alternativa seria se instalar ao redor desses centrosurbanos, estabelecendo um local com infra-estrutura inadequada, um exemplo que condiz com essa analise é a cidade de São Paulo, uma enorme metrópole que não teve uma urbanização planejada adequadamente. No texto tido como referencia informa as características de uma cidade após a revolução industrial resumida basicamente em ruas estreitas com elevado fluxo de pessoas e automóveis no transito e...
tracking img