Antologia poetica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2240 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola Profissional Bento Jesus Caraça
2010
Antologia Poética
Módulo 2 – textos expressivos e criativos e textos poéticos
Olga Medeiros
Olga Medeiros – Delegação Seixal

Índice

Biografia de Camões 3
Poemas de Camões 4
Amor, que gesto humano que na alma escreve 4
Vencido está de amor 4
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades 5
Biografia de Mafalda Veiga 6
Poemas de MafaldaVeiga 7
Velho 7
Imortais 8
Biografia de Alexandre O’Neill 9
Poemas de Alexandre O’Neill 10
Adeus Português 10
Há palavras que nos beijam 11
O teu nome 12
Biografia de Rogério Martins Simões 13
Poemas de Amor de Romasi 14
Bendita sejas mulher 14
Cumplicidades 14
Biografia de Sophia de Mello Breyner Andresen 16
Poemas de Sophia de Mello Breyner 17
Um dia 17
Hora 17Prefácio
Esta antologia poética fala sobre poemas da lírica camoniana e dos poetas contemporâneos, fazendo também uma breve biografia dos poetas.
Com esta pequena introdução espero que gostem da minha antologia.

Biografia de Camões

Luís de Camões nasceu em 1524 ou 1525, em Lisboa, não se sabe ao certo. Filho de Simão Vaz de Camões e Ana de Sá.
Estudou Literatura e Filosofia emCoimbra, tendo a seu favor o seu tio D. Bento de Camões, chanceler da Universidade.
Foi militar e combateu em Ceuta, Goa, Índia, etc. Foi durante essas viagens que perdeu o olho e escreveu “Os Lusíadas”.
Apresentou a sua obra em Lisboa em 1572, sendo um sucesso conseguiu um tença anual de 15 mil reis.
Faleceu a 10 de Junho de 1580.

Poemas de Camões
Amor, que gesto humano que na alma escreveAmor, que o gesto humano na alma escreve,
Vivas faíscas me mostrou um dia,
Donde um puro cristal se derretia
Por entre vivas rosas e alva neve.

A vista, que em si mesma não se atreve,
Por se certificar do que ali via,
Foi convertida em fonte, quefazia
A dor ao sofrimento doce e leve.

Jura Amor que brandura de vontade
Causa o primeiro efeito; o pensamento
Endoudece, se cuida que é verdade.

Olhai como Amor gera, num momento
De lágrimas de honesta piedade,
Lágrimas de imortal contentamento.Vencido está de amor
Vencido está de amor Meu pensamento
O mais que pode ser Vencida a vida,
Sujeita a vos servir e Instituída,
Oferecendo tudo A vosso intento.

Contente deste bem, Louva o momento
Outra vez renovar Tão bem perdida;
A causa que me guia A tal ferida,
Ou hora em que se viu Seu perdimento.Mil vezes desejando Está segura
Com essa pretensão Nesta empresa,
Tão estranha, tão doce, Honrosa e alta

Voltando só por vós Outra ventura,
Jurando não seguir Rara firmeza,
Sem ser no vosso amor Achado em falta.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo omundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:Que não se muda já como soía.

Biografia de Mafalda Veiga
Mafalda Veiga nasceu a 24 de Dezembro de 1965 em Lisboa. Viveu em Espanha durante alguns anos e regressa a Portugal e 1983. Nesse ano começa como autora escrevendo a canção “o Velho”.
Em 1984 entra na Faculdade de Letras Lisboa, no curso de Línguas e Literaturas Modernas.
Em 1987 começa a sua carreira com o disco “Pássaros do Sul”,...
tracking img