Antioxidantes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 33 (8207 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Química Nova
Print version ISSN 0100-4042
Quím. Nova vol.30 no.2 São Paulo Mar./Apr. 2007
doi: 10.1590/S0100-40422007000200036 
DIVULGAÇÃO
 
Antioxidantes dietéticos: controvérsias e perspectivas
 
Dietetic antioxidants: controversies and perspectives
 
 
Fernanda Menezes Cerqueira*; Marisa Helena Gennari de Medeiros; Ohara Augusto
Departamento de Bioquímica, Instituto de Química,Universidade de São Paulo, CP 26077, 05513-970 São Paulo – SP, Brasil
 
 
[pic]
ABSTRACT
The generation of reactive oxygen and nitrogen species (ROS and RNS) during metabolism is capable of damaging cellular biomolecules. To be protected against oxidative injury, cells evolved complex cellular defense mechanisms and the capability to use exogenous antioxidants to eliminate ROS/RNS. The potentialrole of micronutrients as antioxidants (vitamin C, vitamin E, carotenoids and poliphenols) has stimulated intense research efforts. In various human supplementation studies, however, these compounds presented pro-oxidant effects at high doses for most risk groups. Therefore, more studies about the bioavailability, tissue uptake, metabolism and biological activities should be performed beforeestablishing recommendations for disease prevention.
Keywords: antioxidant vitamins; carotenoids; poliphenols.
[pic]
 
 
INTRODUÇÃO
Os organismos vivos interagem com o meio ambiente visando manter um ambiente interno que favoreça a sobrevivência, o crescimento e a reprodução. O oxigênio molecular (O2) obtido da atmosfera é vital para organismos aeróbios; contudo, espécies reativas formadasintracelularmente a partir do oxigênio ameaçam a integridade celular por meio da oxidação de biomoléculas, e podem comprometer processos biológicos importantes1.
O dano oxidativo de biomoléculas pode levar à inativação enzimática, mutação, ruptura de membrana, ao aumento na aterogenicidade de lipoproteínas plasmáticas de baixa densidade e à morte celular. Estes efeitos tóxicos do oxigênio têm sidoassociados ao envelhecimento e ao desenvolvimento de doenças crônicas, inflamatórias e degenerativas2.
A despeito deste paradoxo, a vida aeróbia tornou-se possível graças às adaptações biológicas que levaram ao desenvolvimento de defesas antioxidantes contra a toxicidade do oxigênio e espécies derivadas deste. As adaptações biológicas às mudanças do meio ambiente guiam o processo evolutivo. Nestesentido, as adaptações podem ser definidas como características que se tornam aumentadas e mantidas sob seleção1.
Embora as defesas antioxidantes endógenas sejam efetivas, não são infalíveis, e constantemente há formação de espécies reativas de oxigênio e de nitrogênio (ROS/RNS) que interagem em diferentes níveis com o ambiente celular antes de serem eliminadas, o que, à primeira vista, podeparecer uma falha evolutiva. Todavia, há evidências recentes de que um certo nível destas espécies é imprescindível para muitas funções fisiológicas. Por ex., o enovelamento de proteínas nascentes no retículo endoplasmático ocorre em um meio mais oxidante que o restante da célula para a formação de pontes dissulfeto1. Também, muitos genes são transcritos após oxidação transitória e baixas concentraçõesde alguns oxidantes estimulam a proliferação celular, como exemplificado pela adição de 1 µM de H2O2 à cultura de células3.
Os componentes celulares não são protegidos totalmente por antioxidantes endógenos, e é bem estabelecido que antioxidantes obtidos da dieta são indispensáveis para a defesa apropriada contra oxidação e, portanto, têm importante papel na manutenção da saúde. Os incontestáveisbenefícios para a saúde associados ao consumo de frutas e hortaliças devem-se, em parte, à presença de antioxidantes nestes alimentos4.
Os mecanismos de ação antioxidante de ácido ascórbico e α-tocoferol in vitro são conhecidos. Além destes, os carotenóides e polifenóis estão sendo estudados, procurando-se estabelecer suas eficiências de absorção no trato gastrointestinal, biodisponibilidades,...
tracking img