Antiguidade oriental: a educação tradicionalista

EDUCAÇÃO TRADICIONALISTA
ANTIGÜIDADE ORIENTAL: A EDUCAÇÃO TRADICIONALISTA

Nas sociedades orientais, ao se criarem segmentos privilegiados, a população, composta por lavradores, comerciantes eartesãos, não tinha direitos políticos nem acesso ao saber da classe dominante.
A princípio o conhecimento da escrita é bastante restrito, devido ao seu caráter sagrado e esotérico. Tem início, então, odualismo escolar, que destina um tipo de ensino para o povo e outro para os filhos dos funcionários e restringida à educação familiar informal. A grande massa é excluída da escola

CARACTERISTICAS DAEDUCAÇÃO NO EGITO ANTIGO

Escolas funcionaram nos templos e em algumas casas e foram freqüentadas por pouco mais de 20 alunos cada uma;
Predomínio do processo de memorização;
Uso constante decastigos.
Escolas de Mênfis, Heliópolis ou Tebas – formaram escribas de categoria elevada: funcionários administrativos e legais, médicos, engenheiros e arquitetos.
Conteúdos ensinados: informações práticas:cálculo da ração das tropas em campanha, número de tijolos necessários para uma construção, complicados problemas de geometria associados à agrimensura, grande conhecimento de botânica, zoologia,mineralogia e geografia.

ANTIGUIDADE ORIENTAL: A educação tradicionalista
O tradicionalismo é aquele entento que torna radical o processo educativo na mera transmissão de bens culturais, na meracomunicação de conhecimentos, usos e costumes do passado.
-
Toda educação, na verdade, alimenta-se da tradição cultural, porém cuida de fertilizá-la paraa criação de novos bens, a fim de superar o estado decultura já alcançado.
Os povos orientais representam a época dotradicionalismo pedagógico. Em maior ou menor medida, China e Índia, Egito e Babilônia, dentreoutros povos, são prisioneiros dopassado.
-
As primeiras civilizações surgem no norte daÁfrica e Ásia, tendo se organizado às margensdos grandes rios.
-
Com o desenvolvimento da técnica e dos ofíciosespecializados a sociedade se torna...