Anteprojeto - contexto social e pesquisa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 30 (7423 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
FACULDADE DE DIREITO

METODOLOGIA DA PESQUISA JURÍDICA































Contexto Social e Pesquisa




O medo e sua utilização para fins dominadores

















































SALVADOR

2009Contexto Social e Pesquisa











































































SUMÁRIO



1. Introdução

2. Resumo (O Medo e o Método)

3. Medo e Pesquisa – Conceitos e discussão

4. Medo como ferramenta política – Perspectiva histórica

5. Funções sociaisda pesquisa: a pesquisa como forma de libertação x forma de opressão (tentativa de legitimação da opressão).

6. Medo como ferramenta política, e perspectiva de mudança mediante pesquisa – Atualidades

7. Anexos

8. Referências bibliográficas



















1. INTRODUÇÃO

O projeto a seguir visa estabelecer um vínculo entre o contexto social, sejaele no âmbito nacional ou global, e o advento da pesquisa científica. Tomando a obra “O Medo e o Método” como ponto de partida, em conjunto com diversas outras bibliografias, se buscará compreender as relações entre o “medo”, como possível ferramenta de controle social, e as vertentes que a pesquisa (no que se refere à “produção de conhecimento”) pode assumir.

Num primeiro momento, seráexposto um breve resumo do texto (proposto pelo docente) e um levantamento dos seus pontos fundamentais. A seguir, será realizada uma análise do “medo” em seu aspecto natural-científico, para que então se realize uma análise histórica, de modo a verificar a utilização ou não deste como mecanismo de dominação. Posteriormente, a pesquisa científica, enquanto teoria será analisada em profundidade,para, finalmente, introduzir uma análise cronologicamente mais recente acerca da manifestação do medo, e para discutir a possibilidade de superá-lo através da pesquisa.























2. Resumo


A primeira parte da obra, “Memória e o medo”, inicia-se com uma análise do papel do historiador na hora de analisar os fatos que estuda. Não basta simplesmente ouvirtestemunhas dos fatos, é necessária uma visão critica e apurada das opiniões e até que ponto elas são realmente parciais, e mais do que isso: um mergulho aprofundado nos documentos como fonte concreta de pesquisa.


“Delumeau divide sua história do medo em dois grandes blocos: os medos da maioria e da cultura dirigente. No primeiro bloco trabalha, através de exaustivas fontes primárias esecundárias, a onipresença do medo.” [1] Esse posicionamento de medo da maioria teve sua força principalmente na Idade Média e Moderna, em que o medo estava presente em toda parte: no mar, na escuridão, na noite, exclusivamente na Idade Média o medo da Peste e da Fome era predominante e como será visto em um dos tópicos desse trabalho foram instrumentos de exploração e imposição de poder atravésdo medo. Para todos esses medos a cura e salvação estavam em Deus e na religião que diziam “salvar” através da penitência, do arrependimento e como não podia deixar de ser através de uma contribuição para e Igreja.


“Mas o sentimento de insegurança também provém de uma mão-de-obra constantemente ameaçada pelo desemprego e pela fome corporificada nas cruzadas de pobres ede pastorzinhos [...] O medo de morrer era um medo bem concreto na Europa, que se agudiza a partir do séc. XVI” [2]


O outro ponto abordado por Delumeau é o medo da cultura dirigente, o medo imposto pelas minorias e veiculado pelos meios de informação, o autor cita como exemplos as imprensa, os teatros religiosos, as gravuras e pregações nas Igrejas. Essa imposição de medo é uma forma...
tracking img