Anos rebeldes x anos dourados

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5136 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
A década de 60 representou, no início, a realização de projetos culturais e ideológicos alternativos lançados na década de 50. A segunda metade dos anos 50 já prenunciava os anos 60: a literatura beat de Jack Kerouac, o rock de garagem à margem dos grandes astros do rock (e que resultaria na surf music) e os movimentos de cinema e de teatro de vanguarda, inclusive no Brasil.1960 a 1965: havia um sabor de inocência e até lirismo nas manifestações sócio-culturais, e no âmbito da política é evidente o idealismo e o entusiasmo no espírito de luta do povo. 1966 a 1968: as experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis contra a ameaça de endurecimento dos governos. É ilustrativo que os Beatles tenha trocado as docesmelodias de seus primeiros discos pela excentricidade psicodélica, incluindo orquestras, letras surreais e guitarras distorcidas. "I want to hold your hand" é o espírito da primeira metade dos anos 60. "A day in the life", o espírito da segunda metade.


Nesta época teve início uma grande revolução comportamental como o surgimento do feminismo e os movimentos civis em favor dos negros ehomossexuais. O Papa João XXIII abre o Concílio Vaticano II e revoluciona a Igreja Católica. Surgem movimentos de comportamento como os hippies, com seus protestos contrários à Guerra Fria e à Guerra do Vietnã e o racionalismo. Esse movimento foi também a chamado de contracultura. Ocorre também a Revolução Cubana na América Latina, levando Fidel Castro ao poder. Tem início também a descolonização daÁfrica e do Caribe, com a gradual independência das antigas colônias.
Foi nesta década que foi inaugurada a cidade de Brasília, nova capital do país, por Juscelino Kubitschek.
Os anos 60 marcaram a Explosão Musical no Brasil, ainda sob o efeito dos “ANOS DOURADOS". Os ternos e os chapéus se foram, e uns após outros surgiram os talentos musicais da MPB.


RobertoCarlos deu inicio ao ritmo alucinante do iê iê iê que preenchia as tardes de domingo dos nossos adolescentes . Ao mesmo tempo, os jovens brasileiros deliravam com os Festivais de MPB da TV Record, onde a cada dia apareciam talentos diferentes. Esta foi também a era “Vinicius de Morais” e todos os seus seguidores que se uniram para nos brindar.
Desde o final dos anos 50 vinha o Brasillutando para se libertar do complexo de “país de segunda classe”; nossa cultura popular e musical, resultante de miscigenação das culturas européia, africana e indígena, carregava a síndrome de “vice” na maioria do povo: tínhamos sido vice-campeões no mundial de futebol de 1950 no Rio de Janeiro, Marta Rocha tinha sido vice campeã no concurso Miss Universo de 1954 e fomos desclassificados no mundialde futebol de 1954 na Suíça.
A vitória do futebol, na Copa do Mundo de 1958 na Suécia, marcava o início do sentimento de “ressurreição” do povo brasileiro como país importante no contexto mundial; o início da indústria automobilística brasileira, os momentos de glória de Pelé e Garrincha, a inauguração de Brasília em 1960, cidade projetada pelos arquitetos Lúcio Costa e Oscar Niemayerajudaram o governo do Presidente Juscelino com o “slogan 50 anos em 5” a tirar proveito político desses fatos, aumentando o sentimento patriótico da população.


O sucesso da bossa nova com aceitação internacional, a conquista do bicampeonato mundial de futebol em 1962 no Chile, a conquista da Palma de Ouro em 1962 pelo filme brasileiro dirigido por Anselmo Duarte “O Pagador dePromessas” em Cannes, as vitórias de Maria Esther Bueno no tênis e outras conquistas de afirmação nacional fizeram da década de 60 um período de grande exacerbação de nacionalismo. Além disso, também aumentou o grau de conscientização política dos problemas e carências do povo brasileiro acirrando as disputas ideológicas entre os vários segmentos da população. Após o desastre da administração do...
tracking img