Anhanguera ciencias sociais 2 sem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2242 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP

Pólo de Criciúma/SC

















CONTABILIDADE










Jeniffer Honorato Mota RA: 390214
Suelen Lino Correa RA: 330688André Rezende RA: 404426
Juliana Pereira RA: 381062










Criciúma, 18 de Novembro de 2012.

UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP

Pólo de Criciúma/SC

















CONTABILIDADE
























Criciúma, 28 deNovembro de 2012.
Sumário

1- Introdução 2


2- Definições 3


3- Interações sociais 4


4- Bumbando e ilha das flores 6


5- Pajerama 8


6- Conclusão 9


7- Bibliografia 10























INTRODUÇÃO

Este trabalho visa discutir alguns temas como o modo de vida da classe operária, o modo como surgiram algumas sociedades, bem como demonstraralguns tipos de sociedades específicas mostrando seus pontos fracos e fortes.
O trabalho do ser humano em sua exploração numa época onde poucos tinham o poder de investir e com isso arriscaram a subir na vida em cima de trabalho escravo que com muitas ações de sindicalistas aos poucos foram mudando.
Porém deve se levar em conta que por mais que 21 séculos pareçam muito em relação e imensidãodo tempo não são quase nada.























CIÊNCIAS SOCIAIS


DEFINIÇÕES


Indivíduo – Todo ser, animal ou vegetal, em relação à sua espécie: o gênero, a espécie e o indivíduo. A socialização do indivíduo numa dada sociedade permite que ele adquira uma personalidade própria, que o diferenciará dos demais e ao mesmo tempo o identificará comseu grupo social. Cada homem é socializado de tal modo que sua personalidade é ao mesmo tempo muito parecida com a dos outros em sua sociedade e em outro sentido possui diferenças que a tornam única.
Sociedade – Para Émile Durkheim, a sociedade é um conjunto de normas de ação, pensamento e sentimento que não existem apenas na consciência dos indivíduos, mas que são construídas exteriormente,isto é, fora das consciências individuais. Na vida em sociedade o homem defronta com regras de conduta que não foram diretamente criadas por ele, mas que existem e são aceitas na vida em sociedade, devendo ser seguidas por todos. Sem essas regras a sociedade não existiria e é por isso que os indivíduos devem obedecer a elas.
Cultura – De acordo com Raymond Willians, a palavra vem do latim,colere – e defendia inicialmente o cultivo das plantas, o cuidado com os animais e também com a terra. Defendia ainda o cuidado com as crianças e sua educação, o cuidado com os deuses, com os ancestrais e seus monumentos. Passado por todos esses elementos chegasse ao sentido mais comum: o de que o homem que tem cultura é um homem “culto” – é aquele que “cultiva” a inteligência, as artes e oconhecimento presente nos livros.
Para Jean-Jacques Rousseau, um pensador para quem o homem era naturalmente bom, cultura seria definida como bondade natural, interiormente espiritual, imaginação, solidariedade espontânea.
Para Voltaire e Emmanuel Kant, cultura e civilização representavam ambas, o processo de aperfeiçoamento moral e racional da sociedade, sendo a cultura a forma de avaliaro estágio de progresso e desenvolvimento de uma civilização.
Para Friedrich Hegel, a cultura resultaria da forma de ser dos homens, algo que ele chamava de “Espírito Mundial”. A concepção de cultura resultante de sua filosofia estaria especificadamente relacionada com as formas como os homens vão compreendendo, representando e se relacionando com os vários elementos componentes de sua...
tracking img